Cadernos de Educação https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc <p>A revista&nbsp;<strong><em>Cadernos de Educação </em></strong>é uma publicação eletrônica, em fluxo contínuo, da <a href="https://wp.ufpel.edu.br/fae/">Faculdade de Educação (FAE)</a> e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Publica artigos inéditos resultantes de pesquisas científicas no campo educacional, &nbsp;além de resenhas, relatos de experiências, &nbsp;entrevistas e dossiês.</p> <p><strong>Qualis:</strong> A2</p> <p><span data-sheets-value="{&quot;1&quot;:2,&quot;2&quot;:&quot;A4&quot;}" data-sheets-userformat="{&quot;2&quot;:2627,&quot;3&quot;:{&quot;1&quot;:0},&quot;4&quot;:{&quot;1&quot;:2,&quot;2&quot;:16776960},&quot;9&quot;:1,&quot;12&quot;:0,&quot;14&quot;:{&quot;1&quot;:3,&quot;3&quot;:1}}"><strong>ISSN:</strong> 2178-079X</span></p> Universidade Federal de Pelotas pt-BR Cadernos de Educação 0104-1371 A NOVA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA CONTEMPORANEIDADE DO CAPITAL https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25940 <p class="Resumocorpo" style="margin-right: 4.0cm;"><span style="font-size: 10.0pt; font-family: 'Arial',sans-serif; color: black;">Este artigo objetiva demonstrar o vínculo da proposta de formação dos futuros professores da Educação Básica pública contida na Reforma do Ensino Médio ora em vigor no Brasil com os interesses do grande capital transnacional, no período histórico de consolidação do neoliberalismo e da financeirização da economia. Empregamos o materialismo histórico e dialético como princípio investigativo e a pesquisa </span><span style="font-size: 10.0pt; font-family: 'Arial',sans-serif;">documental, efetivada via legislações-chave (Resolução CNE/CP nº 2/2019; Lei nº 13.415/2017 etc.), como fundamento metodológico. Constatamos a precarização laboral, a proletarização e a desprofissionalização iminentes<span style="color: black;"> da atividade docente no Brasil.</span></span></p> Mauricio de Oliveira Paula Patric Anderson Gomes da Silva Kátia Regina Rodrigues Lima Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-01-05 2024-01-05 68 LASSI https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/26121 <p>O estudo teve como objetivo conhecer as estratégias de estudo e aprendizagem de estudantes universitários e examinar a relação dessas estratégias com variáveis sociodemográficas e da vida acadêmica dos participantes. Participaram 121 estudantes de uma universidade pública do estado do Rio Grande do Sul. Os resultados evidenciaram que os estudantes utilizam estratégias diversas de estudo e aprendizagem. Diferenças significativas emergiram em função da idade, do semestre, da autopercepção sobre o desempenho e da intenção de continuar o curso, indicando a necessidade de que essas variáveis sejam consideradas no delineamento de programas de intervenção.</p> Lourdes Maria Bragagnolo Frison Evely Boruchovitch Natália Moraes Góes Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-01-26 2024-01-26 68 CULTURA E IDENTIDADE https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/24319 <p class="Resumocorpo">O objetivo central foi discorrer sobre os conceitos de cultura e de identidade desenvolvidos por Hall (2014) e Rocha e Tosta (2009) para a compreensão dos desafios do processo educativo amazônico. Em uma perspectiva antropológico-educacional, que relacionou a educação amazônicas e seus desafios com as abordagens de Weigel (1995, 2000), Geertz (1989, 2001), Silva (1989) e Canclini (2008). A metodologia utilizada foi a revisão narrativa de literatura. Os resultados evidenciam a necessidade de um novo olhar sobre esse processo histórico frente à educação, viabilizando a ressignificação dos símbolos construídos socialmente e politicamente na região.</p> Arycia Giseli de Melo Sousa Hellen Cristina Picanço Simas Fabrício Valentim da Silva Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-01-26 2024-01-26 68 A DINAMICIDADE DA APRENDIZAGEM DA (RE)ESCRITA ORTOGRÁFICA https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/26122 <p>O objetivo deste estudo é identificar, categorizar e analisar indícios concernentes à aprendizagem da (re)escrita ortográfica. Para tanto, foi investigado um <em>corpus</em>, composto por produções textuais de alunos do 7º ano de uma escola privada de Belo Horizonte (Minas Gerais), na perspectiva metodológica da abordagem qualitativa (PAIVA, 2019). Tendo como fundamentação teórica a Integração de Múltiplos Padrões (TREIMAN; KESSLER, 2014), os resultados permitiram mostrar e sistematizar a dinamicidade inerente à aprendizagem da (re)escrita ortográfica, processo permeado por (re)formulações de hipóteses, erros, acertos, entre outros processos.</p> Marcelo de Castro Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-01-26 2024-01-26 68 POR QUE CONTAR HISTÓRIAS? https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/26123 <p>Neste estudo, fundamentado na Teoria Histórico-Cultural, buscou-se refletir sobre os elementos que caracterizam a atividade criadora de contar histórias para compreender as especificidades do funcionamento imaginativo na idade pré-escolar. Realizou-se uma pesquisa qualitativa, por meio de oficinas de contação de histórias e análise microgenética, com uma criança de 05 anos. Os resultados revelaram: 1. a articulação entre recursos linguísticos e expressivos na criação e; 2. a interrelação entre o brincar e o narrar na atividade de contar história. A conclusão indica que contar histórias potencializa os processos criadores infantis.</p> Hallana Fernandes de Almeida Pacheco Marina Teixeira Mendes de Souza Costa Daniele Nunes Henrique Silva Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-01-26 2024-01-26 68 O SER HOMEM NA FORMAÇÃO E NA PROFISSÃO DOCENTE https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/23454 <p class="Resumocorpo" style="margin-right: 4.0cm;"><span style="font-size: 10.0pt; font-family: 'Arial',sans-serif;">O objetivo deste trabalho foi compreender construções de gênero que reverberam na escassez masculina na formação e na atuação docente junto a crianças na atualidade. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com quatro professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental e com quatro estudantes de Licenciatura em Pedagogia. Após a análise de conteúdo, chegou-se a quatro categorias: escolha profissional, docência como dom, formação docente e as principais dificuldades dos docentes homens na educação. Percebeu-se que a profissão ainda é atravessada por fortes estereótipos de gênero. </span></p> Marcos Daniel Pereira Rodrigues Cândida Beatriz Alves Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-01-31 2024-01-31 68 CONHECIMENTO SOBRE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS E INDISCIPLINA ESCOLAR https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/23617 <p class="Resumocorpo">Este artigo é fruto de uma pesquisa que empregou a Mediação de Conflitos (MdeC) como estratégia de enfrentamento à indisciplina em uma escola estadual de Porto Velho, Rondônia. Tratou-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo intervenção pedagógica, com a participação de estudantes de uma turma de 7º Ano do Ensino Fundamental, docentes da escola e uma supervisora, no período de agosto a novembro de 2019. A análise textual discursiva dos dados revelou que o conhecimento desses atores escolares sobre MdeC contribuiu para a redução de conflitos e para o arrefecimento da indisciplina entre estudantes, ora de uma “turma problema” da escola.</p> <p>&nbsp;</p> Franciane de Oliveira Pinho Rafael Fonseca de Castro Elisabete Guedes Pinto da Costa Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-03-01 2024-03-01 68 A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE EM SUAS PRÁTICAS COTIDIANAS https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25249 <p>Este artigo tem a intenção de provocar um diálogo entre os métodos do espaço biográfico e alguns conceitos e teorias de Certeau, no que se refere ao estudo da construção da identidade docente no cotidiano de suas práticas. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica e, como resultados, apontamos que a identidade docente é produzida em uma história, pois os processos de formação são fontes para a produção de uma narrativa no presente, a qual, ao ser revisitada, contribui para uma ação transformadora e reflexiva. Concluímos que esse diálogo contribui para compreender a construção da identidade docente e as condições de reflexão e transformação de suas práticas.</p> Julio Cesar Floriano dos Santos Raquel Quintina Pereira Bard sandra Novais Sousa Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-04-11 2024-04-11 68 CARTOGRAFIA DA ESCOLA DA FRONTEIRA E NARRATIVAS DE MULHERES NEGRAS DA EJA https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25235 <p class="Resumocorpo" style="margin-right: 4.0cm;"><span style="font-size: 10.0pt; font-family: 'Arial',sans-serif;">Este artigo analisa os resultados da pesquisa cartográfica realizada no Mestrado em Educação. O método é a cartografia e tem como território uma escola de Educação de Jovens e Adultos (EJA) da periferia da cidade de Teresina-PI. Objetiva mapear saberes, problemas e formas de resistência das mulheres negras da EJA, a partir de suas narrativas, usando a técnica de produção de dados “Bonecas que falam”. Com base teórica em Gonzalez (2020), Arroyo (2017) Collins e Bilge (2021) e Candau (2013), o estudo revelou que as participantes são portadoras de saberes e cotidianamente desenvolvem resistências, sendo a EJA um lugar de acolhimento, de sonhos e de fuga das suas opressões.</span></p> Maria Naira de Carvalho Maria do Socorro Borges da Silva Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-04-11 2024-04-11 68 ARTE E DIÁLOGO DECOLONIAL NA EDUCAÇÃO https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25208 <p>O texto apresenta duas experiências pedagógicas que buscam abordar o ensino de artes visuais a partir de uma perspectiva decolonial e inclusiva. Enfatiza a importância de desestabilizar as normas eurocêntricas por meio da arte, promovendo a reflexão crítica sobre o racismo e a representatividade identitária. Também destaca a necessidade de formação de professores que possam abordar questões decoloniais e incluir perspectivas não hegemônicas em suas práticas pedagógicas. &nbsp;</p> Marcelino Euzebio Rodrigues André Dias Pires Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-04-11 2024-04-11 68 "PRA MIM PARECE QUE SEMPRE FOI DIFÍCIL O QUE É TÃO SIMPLES PROS OUTROS" https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25184 <p>O objetivo deste estudo é suscitar um olhar sobre os aspectos educacionais das pessoas em situação de rua, problematizando os modelos de ensino vigentes e práticas escolares possíveis. É uma pesquisa exploratória-descritiva de metodologia mista realizada em Novo Hamburgo/RS. Participaram deste estudo 170 pessoas, sendo 147 homens e 23 mulheres. Os dados formam submetidos a análise temática e estatística simples. Os resultados apontaram baixa escolaridade e trajetórias de exclusão educacional anterior à ida às ruas. São necessárias políticas educacionais que considerem as particularidades e a garantia integral de direitos dessa população.</p> Suane Silva Pinheiro Eduardo Souza Passini Carmem Regina Giongo Scarleth Nardes Raquel Meyer Fagundes Backes Marina Fritz Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-04-11 2024-04-11 68 DIDÁTICA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM INTERFACE COM A CIBERCULTURA https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25708 <p>Exploramos no texto em tela os princípios da didática no ensino superior, em diálogo com a cibercultura, na ambiência cotidiana de uma universidade federal do interior fluminense no sentido de sinalizar possibilidades de ensino-aprendizagem mediadas pelas tecnologias digitais no ciberespaço. O fundamento teórico-metodológico se assenta na pesquisa-formação para entender as narrativas discentes textualizadas nos diários digitais de formação. Apreende-se possíveis brechas autorais conjugando o conhecimento pedagógico e experiencial à concepção de aprendizagem em rede como enfrentamento às interferências no ensino sob a ótica da racionalidade técnica.</p> Sandro Tiago da Silva Figueira Helena Amaral da Fontoura Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-04-17 2024-04-17 68 ENTRE LÍNGUAS, CULTURAS E DIFERENÇAS https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25936 <p>Este artigo tem como objetivo apresentar as atividades de dois projetos de extensão desenvolvidos no âmbito da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) que buscam fomentar políticas de permanência para estudantes indígenas, o <em>Tecendo Diálogos Interculturais</em> e o <em>Práticas de Leitura e Escrita: o Português como L2 de Acadêmicos Indígenas</em>. Para isso, são destacadas as vivências dos acadêmicos indígenas nos projetos, bem como suas vozes, suas perspectivas sobre a presença indígena na universidade. Os resultados afirmam a necessidade urgente de políticas às populações indígenas no Ensino Superior como um direito desses povos.</p> Jeiviane Justiniano da Silva Célia Aparecida Bettiol Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-04-24 2024-04-24 68 AS PESQUISAS SOBRE A RELAÇÃO PÚBLICO-PRIVADO NA EDUCAÇÃO BÁSICA DE PERNAMBUCO (2012-2022) https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/24032 <p class="Ttulo11">Este artigo tem por objetivo analisar as tendências de teses e dissertações sobre as relações público-privado na educação básica do estado de Pernambuco, elaboradas em Programas de Pós-Graduação em Educação, entre os períodos de 2012 a 2022. Para tanto, foi realizado uma pesquisa de abordagem qualitativa, fundamentada na metodologia da metapesquisa, que envolveu levantamento em três bancos de dados do país. Os resultados possibilitam um melhor entendimento das produções sobre o tema, bem como ampliam o acesso a informações para estudos futuros.</p> Danilo Cardoso da Silva Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-04-30 2024-04-30 68 “NECESSITAMOS DE UM SALÁRIO QUE NOS PERMITA SOBREVIVER" https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25784 <p>O artigo tem como objetivo analisar a constituição do Centro dos Professores Primários do Estado (CPPE), órgão representativo do magistério rio-grandense em seus primeiros anos de atuação, a partir de 1945. Trata-se de um tema sensível que se inscreve na História da Educação, afinado às questões epistemológicas da História do Tempo Presente. Metodologicamente, por meio de um arquivo pessoal e de boletins informativos da entidade, procuramos trazer para a cena historiográfica&nbsp; evidências das primeiras ações do&nbsp; associativismo docente no Rio Grande do Sul, protagonizadas pela criação do Centro de Professores. Estudar este tema permite que meditemos acerca da história da profissão docente, seus desafios e embates que extrapolam as fronteiras do tempo.</p> Flavio Correia Nardy Dóris Bittencourt Almeida Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-18 2024-06-18 68 A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES SURDAS NO CURSO DE LETRAS/LIBRAS https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/22706 <p class="Ttulo11">O presente Trabalho tem como objetivo discutir as contribuições do Curso Letras/LIBRAS na formação da Identidade Surda com enfoque nos processos de formação da Identidade Surda como Não-Metamorfose. A metodologia utilizada foi desenvolvida sobre as bases epistemológicas do método Histórico-Dialético por meio de pesquisa de campo, com abordagem qualitativa, durante a qual foi aplicada entrevista aberta em LIBRAS, gravadas em vídeo com três sujeitos surdos alunos do Curso Letras/LIBRAS. As análises realizadas sobre os dados coletados possibilitaram discussões sobre o surdo nos contextos familiar, escolar e no acesso ao Ensino Superior sobre as influências dos pressupostos sociais na sua formação, bem como sobre as condições para sua Metamorfose ou Não-Metamorfose.</p> Herminio Tavares Santos Ivanilde Apoloceno de Oliveira Josué de Souza Negrão Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-19 2024-06-19 68 PRODUTIVISMO E ENVELHECIMENTO NA CARREIRA DOCENTE https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27193 <p class="Resumocorpo" style="margin-right: 4.0cm;"><span style="font-size: 10.0pt; font-family: 'Arial',sans-serif;">O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial, replicado no mercado de trabalho e nas universidades. O objetivo desta pesquisa foi identificar aspectos da regulamentação da carreira docente que induzem o produtivismo acadêmico. Foi feita análise de conteúdo da legislação federal e das regulamentações internas de uma universidade quanto a carreira docente do Magistério Superior Federal, desde o ingresso à pós-carreira. A pesquisa revelou há acúmulo de atribuições, em paralelo ao trabalho em sala de aula, e que a pós-graduação e a pesquisa possuem maior valorização diante das demais atividades acadêmicas. </span></p> Lauro Oliveira Viana Diogo Henrique Helal Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-25 2024-06-25 68 RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO INFANTIL E O ENSINO FUNDAMENTAL https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27171 <p>O artigo aborda a transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental, analisada no contexto internacional e nacional. Foi realizada uma revisão integrativa de estudos brasileiros sobre a passagem da pré-escola para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Observou-se um aumento do interesse pelo tema nas últimas décadas. A análise das evidências revela que há pouca relação institucionalizada entre as duas etapas no Brasil, o que pode afetar a transição das crianças. No entanto, pesquisas recentes têm apresentado resultados positivos sobre a articulação entre a Educação Infantil e o Ensino Fundamental.</p> Daniel Santos Braga Levindo Diniz Carvalho Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-07-03 2024-07-03 68 ASSESSORES PEDAGÓGICOS NO ENSINO SUPERIOR https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27170 <p>Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa empírica, desenvolvida em um pós-douramento em Pedagogia Universitária, cujo objeto de estudos foi a Assessoria Pedagógica Universitária e teve sua coleta de dados entre 2021 e 2022 com a aplicação de questionários estruturados. Focalizou os processos de autoformação que buscam qualificar as ações profissionais dos assessores pedagógicos, caracterizando o perfil de membros de um grupo que congregava mais de 160 desses profissionais de instituições de Ensino Superior brasileiras. Os resultados sinalizam que há necessidade de que processos de autoformação sejam tomados como referentes da prática de assessoramento, face aos muitos desafios postos ao Ensino Superior.</p> Amanda Rezende Costa Xavier Maria Isabel da Cunha Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-07-03 2024-07-03 68 A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL BRASILEIRA https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27169 <p>A entrevista com Ângela Maria Rabelo Ferreira Barreto e Rita de Cássia de Freitas Coelho aborda como o termo qualidade foi assumido pelo Ministério da Educação no delineamento da Política Nacional para a Educação Infantil nas décadas de 1990- 2000, período em que foram gestoras públicas federais. Destaca suas contribuições para as Políticas Públicas da Educação Infantil brasileira, sobretudo, pela forma democrática como consolidaram parcerias com militantes, pesquisadores e gestores de órgãos públicos. Evidencia que esta etapa educativa perdeu espaço na agenda das políticas públicas para consolidá-la como educação pública, gratuita e de qualidade.&nbsp;</p> Andréia do Carmo Julice Dias Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-21 2024-06-21 68 APRESENTAÇÃO https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27146 <p>"<span style="font-family: 'Arial',sans-serif;">A atividade criadora em que a criança participa ativamente na própria aprendizagem deve constituir o fundamento de toda a educação."</span></p> <p><span style="font-family: 'Arial',sans-serif;">(Heloísa Marinho, 1967, p. 221)</span></p> Altino José Martins Filho Marcelo Oliveira da Silva Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 SOCIALIZAÇÃO ADULTOCÊNTRICA E CULTURAS INFANTIS https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27141 <p>O artigo aborda o interesse crescente nos estudos sobre/para/com crianças, destacando a participação ativa das mesmas na sociedade, a começar pelos espaços educativos. É afirmada a concepção da criança como cidadã, que vive entre contextos, particularmente a família e a escola, destacando-se a importância de reconhecer sua agência e voz. A participação das crianças em relações interativas é crucial para a formação de cidadãos participativos, mas enfrenta obstáculos como a visão adultocêntrica e o desrespeito pelas culturas infantis. São também discutidas a influência das crianças na vida dos adultos e a necessidade de repensar modelos educativos. Conclui-se que é essencial reconhecer as crianças como agentes sociais e promover uma abordagem mais emancipatória da educação de infância.</p> Teresa Sarmento Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 DA SOCIALIZAÇÃO ADULTOCÊNTRICA ÀS CULTURAS INFANTIS https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27138 <p>Este estudo diz respeito a uma pesquisa na área da Educação Infantil, cujo objetivo principal foi descrever, analisar e interpretar as dinâmicas das relações que adultos e crianças estabelecem entre si nos espaços e tempos em que convivem no interior de uma instituição educativa. A fim de capturar as dinâmicas das relações sociais, foi utilizada uma metodologia de orientação etnográfica e recursos de registros escritos e fotográficos. Com a finalidade de ampliar o olhar sobre aquela realidade social, efetuou-se um estudo socioespacial da instituição e dos sujeitos nela envolvidos. Buscando o apoio da Sociologia da Infância e da Pedagogia da Infância, dirigiu-se o foco da análise para as relações travadas entre adultos e crianças, e destas entre si, como atores sociais ativos nos processos de socialização. Pelas categorias de análise elaboradas para tal fim, pôde-se perceber que, tanto nas relações de conflito e tensão como nas de maior harmonia, adultos e crianças produzem representações simbólicas a respeito do mundo com o qual interagem e, no caso das crianças, a elaboração das culturas infantis.</p> Altino José Martins Filho Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 PARA AMPLIAR A DISCUSSÃO SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27139 <p>O artigo discute os direitos da criança a partir das suas vozes, centrando-se no resgate das suas experiências. Os direitos da criança são entendidos como um conjunto de valores consagrados em instrumentos jurídicos que se destinam a fazer respeitar e a concretizar determinados princípios e condições de vida para as crianças. Metodologicamente, parte das próprias imagens, concepções e saberes de crianças do Brasil e de Portugal sobre os seus direitos. Assume-se, desta forma, um discurso emancipatório sobre os direitos da criança para sustentar que estes precisam ser definidos pelas próprias crianças.</p> Catarina Almeida Tomás Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 CORPO CRIANÇA https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27036 <p>O presente estudo tem como objetivo apresentar uma análise conceitual da construção do conceito corpo criança à luz de teóricos do campo dos estudos da criança e suas infâncias e de estudos com crianças realizados por um grupo de pesquisa que tem se debruçado sobre os estudos do corpo criança em movimento. Aborda-se sobre o corpo criança a partir do protagonismo infantil e da escuta da criança. Conclui-se que o conceito corpo criança se estrutura a partir da concepção de infância como categoria geracional que se expressa no mundo por meio dos seus movimentos, isto é, uma linguagem da infância.</p> Marynelma Camargo Garanhani Déborah Helenise Lemes de Paula Gisele Brandelero Camargo Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 OS BEBÊS E O MUNDO https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25299 <p>O estudo parte de uma pesquisa que teve como objetivo compreender os processos de socializ(ação) e particip(ação) vividos por nove bebês, com quatro meses a um ano e meio de idade, e três educadoras em uma Escola de Educação Infantil do Rio Grande do Sul. O estudo está situado no campo dos Estudos da Infância, em um diálogo entre a Sociologia da Infância, a Sociologia à escala individual, de Bernard Lahire, e a Psicologia Cultural, de Barbara Rogoff. O termo socializ(ação) passou por um processo de recriação, no sentido que enfatiza a ação dos indivíduos sobre a estrutura. Processo, no qual tanto os bebês quanto os adultos se socializam.</p> Rachel Freitas Pereira Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 ENTRETEMPOS E ENTREMEIOS DOS ENCONTROS SENSÍVEIS DOS BEBÊS COM A ARTE E CULTURA https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27140 <p>O texto discute oportunidades singulares nos encontros dos bebês com a arte e a cultura. Utilizando o método etnográfico, o objetivo é mostrar o que as formas de sensibilidades infantis nos mostram durante as vivências, e como os bebês se revelam agentes de cultura. Baseando-se num corpus de dados originados com bebês até três anos de idade, ocorridos num percurso de oito meses numa creche municipal, no sul do país. Procuramos descrever as suas experiências sensíveis durante os movimentos e as reações dos adultos, a busca de conforto, a adaptação e socialização na experiência autônoma de fruição e o papel dessas experiências. As conclusões regressam ao lugar das emoções e às formas constitutivas dessas experiências.</p> Lilian Cristina de Souza Natália Fernandes Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 O QUE NOS DIZEM OS DESENHOS DAS CRIANÇAS SOBRE A ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL? https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27035 <p>Este artigo decorre da pesquisa sobre “A representação do olhar da criança sobre a escola de Educação Infantil”, e propõe analisar o olhar das crianças sobre a escola de Educação Infantil por meio dos seus desenhos. A pesquisa, de abordagem qualitativa, teve como sujeitos três professoras atuantes na Educação Infantil e 64 crianças entre 3 e 6 anos de idade. As análises decorrentes dos desenhos foram organizadas em três categorias e permitem constatar que os desenhos continuam sendo possibilidades lúdicas para conhecer e explorar os interesses e as necessidades das crianças. Os desenhos também são uma forma de participação transformadora no contexto onde as crianças estão inseridas.</p> Angelita Santa Rosa Baldani Jacqueline Silva da Silva Anne Heracléia de Brito e Silva Iasmin Pozzebon Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 ARTES PRODUZIDAS POR CRIANÇAS NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25173 <p>O presente artigo propõe discutir a arte na infância, aliada à defesa do tempo integral. Tem como objetivo compartilhar a experiência vivida com um grupo de crianças, na cidade de Governador Valadares/MG, sobre os seus modos de fazer arte na escola em tempo integral. Os resultados indicam a marginalidade da arte no espaço escolar e as possibilidades de apropriação dos territórios. As conclusões permitem refletir sobre a necessidade de ampliar o debate sobre o tempo integral na infância, redesenhando os espaços e os tempos da escola para incorporar efetivamente a arte como um direito da criança.</p> Valdicelio Martins dos Santos Maria Celeste Reis Fernandes de Souza Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 AS RELAÇOES COM A CIDADE https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25300 <p>O presente artigo buscou compreender a relação das crianças com a cidade a partir dos espaços que as crianças do Centro de Educação Infantil (CEI) Nossa Senhora do Mont Serrat frequentam na cidade de Florianópolis. Para a geração de dados foram utilizados desenhos produzidos pelas crianças e mapas vivenciais elaborados pelas professoras. Os resultados demonstraram que as crianças costumam frequentar, com as suas famílias e professoras, os espaços públicos próximos ao CEI, como parques e praças. O estudo destaca a importância das unidades educativas na ampliação do repertório cultural e da democratização do acesso a espaços públicos.</p> Ana Carolina de Araujo Ricardo Adilson De Angelo Débora Marina Picinato Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 A ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS/AMBIENTES NA CRECHE https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/27037 <p>Consideramos que a construção de ambientes e espaços planejados é fundamental para pensar a infância e como os pequenos se movimentam, mobilizam e socializam por meio dele. Dessa forma, visamos compreender como se constituem as rotinas e o uso dos espaços-ambientes no cotidiano da creche. Assim, ressaltamos ser necessário um aprofundamento das concepções de rotinas, espaços e tempos na Educação Infantil por parte das professoras e equipes, a fim de que sejam possíveis transformações no ambiente/espaço partindo de ações simples do cotidiano, superando a fragmentação do tempo e a constituição de ambientes disciplinadores.</p> Juliana Bueno Machinski Daiana Camargo Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 CRIANÇAS, DIREITOS E INFÂNCIA(S) https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25254 <p>Este artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa de mestrado, de abordagem qualitativa, que teve como propósito compreender como a pré-escola assegura ou não as especificidades da Educação Infantil em escolas da Rede Municipal de Ensino de Curitiba-PR, ao compartilhar a escola com o Ensino Fundamental. Explora-se as categorias crianças, direitos e infância(s) para discutir as especificidades da pré-escola presente nos documentos normativos e orientadores das escolas, nos planejamentos e registros de atividades propostas pelas professoras. Afirma-se o entendimento das crianças como sujeitos sociais e históricos, cidadãs e produtoras de cultura.</p> Monica Boscardin Schühli Catarina Moro Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68 DESBRAVANDO OS ESPAÇOS DA CRECHE https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/caduc/article/view/25157 <p>O artigo apresenta um recorte da pesquisa de mestrado que investigou os usos e os significados dados pelas crianças aos espaços de uma instituição de Educação Infantil da Rede Municipal de Florianópolis. Como metodologia, utilizamos a etnografia, tendo como instrumentos metodológicos a fotografia e a construção de um diário de campo para registrar as ações e relações sociais das crianças. Nas análises, os modos como as crianças atuam no espaço do banheiro revelam um lugar potente para suas experiências e a reivindicação de um espaço para sua privacidade.</p> Maurícia Santos de Holanda Bezerra Copyright (c) 2024 Cadernos de Educação 2024-06-07 2024-06-07 68