Políticas Editoriais

Foco e Escopo

Proporcionar aos graduandos e pós-graduandos do Departamento de História da UFPel e de outras instituições, bem como de áreas afins, um espaço acadêmico para publicação de artigos autorais, visando o aprimoramento e qualificação dos discentes. Articular e promover o debate entre os pesquisadores da área de História e afins, em uma perspectiva interdisciplinar, fomentando o intercâmbio interinstitucional. Incentivar a reflexão sobre a Pesquisa, Ensino e Extensão entre os discentes. 

 

Políticas de Seção

Expediente

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Apresentações

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Dossiê: História e Imagem

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos Livres

Política padrão de seção

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Dossiê Movimentos Sociais e Identitários

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Diálogos: Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade no Campo Historiográfico

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Fontes Históricas: Desafios e possibilidades metodológicas

Editores
  • Bárbara Denise da Costa
Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Dossiê "Intolerâncias, preconceitos e racismos na Era Moderna: entre permanências e rupturas"

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

O processo avaliativo iniciará com uma pré-avaliação, de acordo com as normas de publicação da Revista, levada a efeito pela Editoria. Posteriormente, uma cópia sem identificação do autor será enviada a um parecerista ad hoc. Em caso de necessidade de alterações, o texto será reencaminhado ao autor, que será responsável pelas mesmas.

 

Periodicidade

  • A Revista tem periodicidade semestral.
  • A Equipe Editorial prezará pela publicação de um número de produções equitativo entre graduação e pós-graduação.   
  • Serão aceitos apenas artigos inéditos de História ou áreas com temas afins. O autor deverá ser aluno de graduação ou pós-graduação, ou tê-la concluído a no máximo seis meses no momento do envio.
  • Os autores dos trabalhos enviados à Revista receberão uma resposta sobre a aprovação de suas produções em um prazo máximo de seis meses.
  • A comunicação entre autores e Equipe Editorial ocorrerá através do email oficiosdeclio@gmail.com.
  • A rigorosa revisão ortográfica e gramatical será requisito básico para o aceite dos textos submetidos à Revista.
  • Casos de plágio ou autoplágio serão prontamente desqualificados pela Equipe Editorial.
  • O processo avaliativo iniciará com uma pré-avaliação, de acordo com as normas de publicação da Revista, levada a efeito pela Equipe Editorial. Posteriormente, uma cópia sem identificação do autor será enviada a um parecerista ad hoc. Em caso de necessidade de alterações, o texto será reencaminhado ao autor, que será responsável pelas mesmas.
  • Os professores que fizerem parte da Equipe Editorial não participarão da pré-avaliação de artigos de seus orientandos ou bolsistas. Os professores que comporem os Conselhos Editorial ou Consultivo não participarão da avaliação de artigos de seus orientandos, bolsistas ou monitores.
  • Aos discentes que compõe a Equipe Editorial será facultada a publicação na revista, contudo não participarão do processo avaliativo de seu próprio artigo.

 

Política de Acesso Livre

Esta Revista oferece acesso livre e imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico proporciona uma democratização mais ampla desse conhecimento a todos.

 

Conselho Editorial

Prof. Dr. Adhemar Lourenço da Silva Junior - Universidade Federal de Pelotas

Profª Dra. Alessandra Gasparotto - Universidade Federal de Pelotas

Prof.ª Drª Ana Inez Klein - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Aristeu Elisandro Lopes - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Carolina Kesser Barcelos - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Clarice Speranza - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Charles Pereira Pennaforte - Universidade Federal de Pelotas

Profª. Drª. Dalila Müller - Universidade Federal de Pelotas

Profª. Drª. Daniele Gallindo G. Silva - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Edgar Ávila Gandra - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Elisabete Leal - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Fábio Vergara Cerqueira - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Fernando da Silva Camargo - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Jonas Moreira Vargas - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Juarez José Rodrigues Fuão - Universidade Federal de Pelotas

Profª. Drª. Larissa Patron Chaves - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Lisiane Sias Manke - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Lorena Almeida Gill - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Mauro Dillmann Tavares - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Marcos César Borges da Silveira - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Paulo César Possamai - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Paulo Ricardo Pezat - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Rejane Jardim - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Sebastião Peres - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Viviane Saballa - Universidade Federal de Pelotas

 

Conselho Consultivo

Prof. Dr. Aldrin Castellucci - Universidade do Estado da Bahia

Prof. Dr. Antônio Luigi Negro - Universidade Federal da Bahia

Prof. Dr. Benito Bisso Schmidt - Universidade Federal do Rio Grande do Sul 

Prof. Dr. Gilberto Calil - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Profª Drª Luiza Horn Iotti - Universidade de Caxias do Sul

Prof. Dr. Nilton Mullet Pereira - Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Prof. Dr. Rodrigo Santos de Oliveira - Universidade Federal do Rio Grande

Profª Drª Carla Rodrigues Gastaud - Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª Carla Beatriz Meinerz - Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Prof. Dr. Deivid Valério Gaia – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Profª Drª Eliane Teresinha Peres - Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr. Enrique Serra Padrós - Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Prof. Dr. Guinter Tlaija Leipnitz - Universidade Federal do Pampa

Prof. Dr. Paulo Roberto Staudt Moreira – Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Prof. Dr. Paulo Pinheiro Machado – Universidade Federal de Santa Catarina

Prof. Dr. Marcelo Badaró Mattos – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Prof. Dr. René Ernaini Gertz – Pontifícia Universidade Católica - RS

 

Regimento

Regimento da Revista Ofícios de Clio

1 – Da Identificação

1.1 A Revista Discente Ofícios de Clio foi criada em 2014 e está ligada ao Departamento de História (DH) e ao Programa de Pós-Graduação em História (PPGH), vinculados ao Instituto de Ciências Humanas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Este Projeto foi elaborado no âmbito das atividades do Laboratório de Ensino de História (LEH).

1.2 O Projeto de Ensino em questão é registrado junto a Pró-Reitoria de Graduação da UFPel.

1.3 A Revista é disponibilizada online em formato PDF no sitehttps://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/CLIO

1.4 A publicação, bem como o acesso à Revista, são gratuitos.


2 – Da formação

2.1 A Equipe Editorial, formada por dois discentes do curso de Licenciatura em História, dois discentes do curso de Bacharelado em História e dois discentes do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da UFPel, é constituída ainda por um professor, Coordenador do Projeto de Ensino, e Professores Colaboradores, todos ligados ao DH ou ao PPGH. A função da Equipe Editorial é desempenhar todas as tarefas referentes ao recebimento, organização e publicação da Revista.

2.1.1 A escolha dos discentes que comporão a Equipe Editorial será realizada pelo Professor Coordenador em consonância com os Professores Colaboradores.

2.1.2 Em casos excepcionais, a critério do Coordenador do Projeto, mais um discente poderá fazer parte da Equipe Editorial.

2.1.3 Caberá ao Professor Coordenador do projeto a função de Editor-Chefe. O bolsista do projeto, quando houver, ocupará o cargo de Editor-Assistente. Quando não houver bolsista, o Professor Coordenador do projeto escolherá um discente para ocupar essa função.

2.1.4 O Centro Acadêmico dos cursos de História (CAHis) poderá designar um representante por gestão, para acompanhar as reuniões da Equipe Editorial.

2.2 O Conselho Editorial, formado pelo corpo docente do Departamento de História e do PPGH da UFPel, tem a função de apoiar a Equipe Editorial, divulgar a Revista e estimular publicações dos discentes e, se solicitados, avaliar artigos. Anualmente será realizada uma reunião ampliada da Equipe Editorial com os membros do Conselho Editorial, a fim de permitir o acompanhamento dos trabalhos realizados.

2.3 O Conselho Consultivo, formado por profissionais reconhecidos na área de História e afins, externos ao DH e ao PPGH /UFPel, tem a função de apoiar a Equipe Editorial, divulgar a Revista, encaminhar publicações e, se solicitados, avaliar artigos.

2.4 Para a avaliação dos artigos serão convidados profissionais da área de História e afins, na função de pareceristas ad hoc. No caso da avaliação das produções de graduação deverão ser portadores, no mínimo, do título de Mestre, e de Doutor quando da avaliação de pós-graduandos.


3 – Dos objetivos

3.1 Proporcionar aos graduandos e pós-graduandos de História da UFPel e de outras instituições, bem como de áreas afins, um espaço acadêmico para publicação de artigos autorais, visando o aprimoramento e qualificação dos discentes.

3.2 Articular e promover o debate entre os pesquisadores da área de História e afins, em uma perspectiva interdisciplinar, fomentando o intercâmbio interinstitucional.

3.3 Incentivar a reflexão sobre a Pesquisa, Ensino e Extensão entre os discentes.


4 – Das características da Revista, regras de seleção e publicação

4.1 A Revista tem periodicidade semestral.

4.1.1 A Equipe Editorial prezará pela publicação de um número de produções equitativo entre graduação e pós-graduação.   

4.2 Serão aceitos apenas artigos inéditos de História ou áreas com temas afins. O autor deverá ser aluno de graduação ou pós-graduação, ou tê-la concluído a no máximo seis meses no momento do envio.

4.3 Os autores dos trabalhos enviados à Revista receberão uma resposta sobre a aprovação de suas produções em um prazo máximo de seis meses.

4.4 A comunicação entre autores e Equipe Editorial ocorrerá através do email oficiosdeclio@gmail.com

4.5 A rigorosa revisão ortográfica e gramatical será requisito básico para o aceite dos textos submetidos à Revista.

4.6 Casos de plágio ou autoplágio serão prontamente desqualificados pela Equipe Editorial.

4.7 O processo avaliativo iniciará com uma pré-avaliação, de acordo com as normas de publicação da Revista, levada a efeito pela Equipe Editorial. Posteriormente, uma cópia sem identificação do autor será enviada a um parecerista ad hoc. Em caso de necessidade de alterações, o texto será reencaminhado ao autor, que será responsável pelas mesmas.

4.7.1 Os professores que fizerem parte da Equipe Editorial não participarão da pré-avaliação de artigos de seus orientandos ou bolsistas. Os professores que comporem os Conselhos Editorial ou Consultivo não participarão da avaliação de artigos de seus orientandos, bolsistas ou monitores.

4.7.2. Aos discentes que compõe a Equipe Editorial será facultada a publicação na revista, contudo não participarão do processo avaliativo de seu próprio artigo.

 

Chamadas para submissão abertas

Chamada para submissão de artigos - Número 7

 

Convidamos a comunidade acadêmica a colaborar com a Revista Discente Ofícios de Clio, dos cursos de Graduação e Pós-Graduação da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). A Revista é ligada ao Laboratório de Ensino de História da UFPel (LEH) e vinculada ao Departamento de História e ao Programa de Pós-Graduação em História. Possui periodicidade semestral, sendo publicada em formato online no endereço https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/CLIO , com ISSN 2527-0524.

Serão aceitos artigos inéditos de História ou temas afins. O autor deverá ser aluno de graduação ou pós-graduação, ou tê-la concluído no máximo há seis meses no momento do envio. A Revista Discente Ofícios de Clio é dividida em quatro seções. A primeira delas constitui-se de um dossiê temático, para o qual é convidado a participar, na condição de proponente, um pós graduando. A segunda seção é composta por artigos livres. A terceira seção é específica para área de Ensino de História e afins, contemplando reflexões teóricas sobre as práticas de ensino e experiências de ensino, tais como trabalho com monitorias, atividades do PIBID, estágios, experiências em Educação Patrimonial, etc. A quarta seção da revista será composta por resenhas de obras publicadas em língua portuguesa ou estrangeira.

Para nosso sétimo número estamos efetuando a chamada para o dossiê "Gênero, diversidades, interseccionalidades: perspectivas de análise na pesquisa histórica", sob a proposição e organização dos doutorandos Joelma Ferreira dos Santos e Jorge Luiz Zaluski, ambos da UDESC. 

No final dos anos 1980, o termo “gênero”, que vinha sendo empregado como sinônimo das diferenças sexuais ou para fazer referência à produção acadêmica relativa às mulheres, passou por um processo de revisão teórica e começou a se consolidar como conceito relacional. A partir das considerações de Joan Scott, em artigo originalmente publicado em 1988, o gênero é compreendido como “um elemento constitutivo de relações sociais baseado nas diferenças percebidas entre os sexos e [...] uma forma primeira de significar as relações de poder” (SCOTT, 1995, p. 86).
Na década de 1990, com a contribuição dos movimentos LGBT e com a “diferenciação já consolidada entre sexo e gênero” (LAMAS, 2016, p. 160), Judith Butler realizou um novo “giro” de reflexão acerca do conceito de gênero. Através de uma série de questionamentos/problemas, a filósofa não somente problematizou o caráter de uma essência feminina na mulher enquanto sexo biológico, como desenvolveu, a partir daí, sua teoria da performatividade para explicar como os corpos generificados são produzidos. “Ser mulher constituiria um ‘fato natural’ ou uma performance cultural, ou seria a ‘naturalidade’ constituída mediante atos performativos discursivamente compelidos, que produzem o corpo no interior das categorias de sexo e por meio delas?” (BUTLER, 2003, p. 8-9). Em outras palavras, a autora salientou que a relação sexo/gênero não é direta, tampouco compulsória. Sua contribuição teórica, portanto, abriu espaço para o entendimento das diversas identidades de gênero.
Por outro lado, o gênero como categoria única de análise também foi questionado, sobretudo por feministas afroamericanas, as quais se percebiam excluídas desse monolítico denominado “mulher”, denunciando que este incluía somente mulheres brancas e de classe média. Dessa forma, teóricas com Kimberlé Crenshaw (2004), bell hooks (2019), Audre Lorde (1984), entre outras, contribuíram para a formulação da noção de interseccionalidade e para a ampliação de ferramentas metodológicas, possibilitando, assim, uma análise de gênero entrecruzada por outras categorias de análise como raça/etnia, classe, idade/geração, sexualidade, religião, nacionalidade, dentre outras.
Diante das possibilidades de pesquisas sobre o tema, para este dossiê, serão bem-vindos, portanto, os trabalhos que dialoguem com a pluralidade de experiências e/ou representações de gênero, feminismos, masculinidades e diversidades – enfocando relações de poder, de violência ou de resistência – em perspectiva histórica ou interdisciplinar, utilizando fontes orais, impressas, literárias, imagéticas ou audiovisuais; bem como artigos livres, resenhas e artigos sobre ensino de história.

Referências bibliográficas:

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CRENSHAW, Kimberlé. “A intersecionalidade na discriminação de raça e gênero”. VV. AA. Cruzamento: raça e gênero. Brasília: Unifem, 2004.
HOOKS, bell. Olhares negros: raça e representação. Trad. Stephanie Borges. São Paulo: Elefante, 2019.
LAMAS, Marta. “Género”. In: MORENO, Hortensia; ALCÁNTARA, Eva (Coordinadoras). Conceptos clave em los estudios de género. Vol. 1. México: UNAM; PUEG, 2016
LORDE, Audre. “Age, Race, Class and Sex: Women Redefining Difference”. In: LORDE, Audre. Sister Outsider: Essays and Speeches. Freedom, CA: Crossing Press, 1984.
SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, nº 2, jul./dez. 1995, pp. 71-99.

As Normas e o Regimento da Revista encontram-se no site. Os artigos devem ser inéditos e seu conteúdo é de responsabilidade do autor. Informações adicionais podem ser solicitadas através do e-mail oficiosdeclio@gmail.com . A submissão de artigos se dará através do site da Revista http://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/CLIO e do envio simultâneo para o e-mail oficiosdeclio@gmail.com

Artigos a serem submetidos a este dossiê tem até o dia 31 de agosto de 2019 para serem enviados.

Pedimos ampla divulgação dessa chamada entre seus contatos.

 

A Editoria da Revista Discente Ofícios de Clio