A Lisístrata e a Megera: panoramas da figura feminina na dramaturgia de Aristófanes e Shakespeare

Felipe Daniel Ruzene

Resumo


O seguinte texto trata sobre a visão do feminino dentro da dramaturgia de dois períodos históricos diversos, de modo a ilustrar quais os papéis sociais e perfis idealizados para a figura da mulher, dentro do recorte temporal estabelecido e por meio de duas comédias que tem sua trama desenvolvida por uma personagem feminina. Tais apontamentos serão analisados na antiguidade grega, bem como no período Elisabetano da Inglaterra por meio das obras “Lisístrata”, de Aristófanes, e “A megera domada”, de Shakespeare.

Palavras-chave: A megera domada; Lisístrata; Feminino; Teatro.

 

Abstract

The following text deals with the view of the feminine within the dramaturgy of two different historical periods, in order to illustrate the social roles and profiles idealized for the figure of the woman, within the established temporal cut and through two comedies that have their plot developed by a female character. Such notes will be analyzed in Greek antiquity, as well as in the Elizabethan period of England through the works of “Lysistrata” by Aristophanes and Shakespeare's “The Taming of the Shrew”.

Keywords: The Taming of the Shrew; Lysistrata; Feminin; Theater.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/clio.v5i9.18514

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Ofícios de Clio - Revista Discente dos Cursos de História da Universidade Federal de Pelotas - 2021 - ISSN 2527-0524
Contador de visitas