Chamada Dossiê "Simmel e as formas de vida"

Tendo em vista a aproximação dos cem anos do falecimento do filósofo e sociólogo alemão Georg Simmel (1858-1918), este dossiê se propõe a reexaminar seus escritos com vistas a destacar sua atualidade para as ciências sociais e a filosofia contemporâneas. 

Autor de uma obra reconhecidamente variada, Simmel é com frequência visto sobretudo como um ensaísta, cujos argumentos não se deixariam, todavia, sistematizar de uma perspectiva unificada. 

A despeito disso, uma linha de continuidade percorre os seus escritos: trata-se daquela que, formulada de diferentes modos ao longo da obra do autor – em sua sociologia dita formal como em suas análises estéticas, em seu diagnóstico da modernidade como em sua metafísica –, traduziu-se finalmente em uma contraposição entre vida e forma.

Tal como apresentada por Simmel em seus últimos escritos, a relação entre esses polos não se caracteriza somente por um conflito insolúvel, mas também por uma dependência inescapável: assim como a vida só pode aparecer enquanto tal na medida em que se cristaliza em uma forma determinada, que a particulariza, constrange e limita, uma forma é sempre expressão de uma vida que assume em seu interior uma configuração específica. Nesse sentido, a obra de Simmel pode ser compreendida como uma extensa e variada investigação das formas de vida. 

No exame minucioso das formas de vida econômicas, apresentado na Filosofia do dinheiro e em outros textos acerca do meio monetário; na análise das formas de vida urbanas, marcadas pelo predomínio do entendimento, assim como nos ensaios sobre as formas de lazer e de fruição estética típicas da modernidade fin-de-siècle, com suas modalidades específicas de experiência e sofrimento psíquicos; no diagnóstico da crise da cultura moderna e sua manifestação nas novas formas de vida religiosas, artísticas, filosóficas e éticas; nas análises das paisagens de Roma, Florença e Veneza, consideradas em suas maneiras peculiares de articular vida e forma estética, bem como na filosofia da arte apresentada no livro sobre Rembrandt; nos ensaios sobre a moda, a sociabilidade, a coqueteria e em todo o espectro de formas e tipos sociais apresentados na “grande” e na “pequena” sociologias – em todos esses casos, o que o leitor encontra é a cada vez uma formulação distinta do problema da articulação entre vida e forma ou, dito de outro modo, um conjunto de investigações sobre as formas de vida, com ênfase naquelas típicas da época moderna, em seus aspectos mais felizes ou problemáticos. 

Com tal perspectiva em mente, este dossiê se propõe a abordar de maneira ampla a obra de Simmel, aceitando contribuições que tratem das diferentes temáticas e dos variados aspectos que atravessam os seus escritos, sem que seja exigida, contudo, a referência explícita ao conceito de forma de vida tal como articulado nesta chamada.

Informações básicas:
- O artigo deve ser inédito em periódicos nacionais e internacionais.
- A publicação pode ser feita em português, espanhol ou inglês.
- Os artigos deverão ter entre 15 e 30 páginas, com espaço 1,5, fonte Times New Roman e tamanho 12.
- Os artigos devem apresentar um resumo de 150 a 250 palavras na língua do artigo e em inglês, assim como de três a cinco palavras-chaves.

Os detalhes sobre o formato de citações e referências bibliográficas estão no site da revista. Clique aqui.