Alcances (im)previstos de um Estado de Bem-estar Social – cruzamentos entre transexualidade, ascensão social e parentesco na capital potiguar

Francisco Cleiton Vieira Silva do Rego

Resumo


A partir do aumento do gasto social desencadeado nos anos 2000, principalmente com o Governo do Partido dos Trabalhadores (PT), um contexto de ascensão social se tornou possível. Contudo, que reverberações essa mobilidade e essa economia social reflete nas vidas da população de gays, lésbicas e pessoas trans? Partindo do interesse de contribuir para responder essa pergunta, o presente artigo procura compreender a reorganização familiar constituída a partir de processos de subjetivação de homens transexuais num contexto de mobilidade e políticas sociais. Se percebeu que uma forte articulação entre acesso a recursos proporcionado pela disposição de políticas sociais dos Governos do PT se cruza, alicerçando, o engajamento político por reconhecimento como sujeito e reposicionamento no grupo familiar de homens trans de origem popular. O artigo é resultado de pesquisa etnográfica realizada entre os anos 2014 e 2015 na capital do Rio Grande do Norte, Natal, com o auxílio de entrevistas semiestruturadas e em profundidade.

Palavras-chave: Transexualidade, Estado Social, Parentesco, Ativismo político.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDION, Carolina; SERVA, Maurício. Uma delimitação do campo da economia social no Brasil: história, correntes e atores. Trabalho apresentado no 30º. Encontro Nacional da ANPAD, 2016.

ÁVILA, Simone N. FTM, transhomem, homem trans, trans, homem: A emergência de transmasculinidades no Brasil contemporâneo. Tese (Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas), Universidade Federal de Santa Catarina, 2014.

BENEDETTI, Marcos Renato. Toda feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

BENTO, Berenice. A (re)invenção do corpo: gênero e sexualidades na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BESTARD, Joan. Introdución. In: Parentesco y modernidad. Barcelona: Paidós, 1998.

BUTLER, Judith. Cuerpos que importan: sobre los límites materiales y discursivos del "sexo". Buenos Aires: Paidós, 2002.

CARDOZO, Fernanda. Parentesco e parentalidades de travestis em Florianópolis. Cadernos NIGS Pesquisas, Florianópolis, v. 1, n. 1, 2010.

CONNELL, Raewyn. Questões de gênero e justiça social. Século XXI: Revista de Ciências Sociais, v. 4, n. 2, pp. 11-48, 2014.

CONNELL, Raewyn. Transexual Women and Feminist Thought: Toward New Understanding and New Politics. Signs, v. 37, n. 4, 2012.

DUARTE, Luiz F. D. Horizontes do indivíduo e da ética no crepúsculo da família. In: RIBEIRO, I. (Org.). Família e sociedade brasileira: desafios nos processos contemporâneos. Rio de Janeiro: Fundação João XXIII, 1994. pp. 23-41.

FRANÇA, Isadora L. Sobre “guetos” e “rótulos”: tensões no mercado GLS na cidade de São Paulo. Cadernos pagu, (28), 2007: 227-255.

LAVINAS, Lena. Gasto social no Brasil: programas de transferência de renda versus investimento social. Ciênc. Saúde Coletiva. 2007, vol.12, n.6, pp.1463-1476.

LAVINAS, Lena; COBO, Barbara; VEIGA, Alinne. Bolsa-família: impacto das transferências de renda sobre a autonomia das mulheres e as relações de gênero. Revista Latinoamericana de Población, RELAP, Asociación Latinoamericana de Población, año 6, n. 10, p. 31-54, enero/junio 2012.

LOPES JÚNIOR, Edmilson. A construção social da cidade do prazer. Urbanização turística, cultura e meio ambiente em Natal (RN). Tese (Doutorado em Ciências Sociais), Universidade de Campinas, 1997.

MARQUES, Rosa M.; MENDES, Áquilas. Servindo a dois senhores: as políticas sociais no governo Lula. Rev. Katál., Florianópolis, v. 10, n. 1, pp. 15-23, 2007.

MELLO, Luiz et al. Políticas de saúde para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Brasil: em busca de universalidade, integralidade e equidade. Sexualidad, Salud y Sociedad. Rio de Janeiro, n. 9, pp.7-28, 2011.

MOREIRA, Edison. Um olhar sobre a atual situação da política habitacional no Brasil. Indic. Econ. FEE, Porto Alegre, v. 40, n. 3, pp. 21-32, 2013.

NATAL. Prefeitura de Natal. Documento Base Plano Municipal de Educação 2015-2025, Natal, 2015.

NATAL. Prefeitura de Natal. Plano Municipal de Educação 2015-2025, Natal, 2015.

ORTHER, Sherry B. Dark anthropology and its others. Theory from the eighties. Hau: Journal of Ethonographic Theory, 6(1), pp. 47-73, 2016.

POCHMANN, Marcio. Políticas sociais e padrão de mudanças no Brasil durante o governo Lula. SER Social, Brasília, v. 13, n. 28, p. 12-40, 2011.

REZENDE, Claudia B. Mágoas de amizade: um ensaio em antropologia das emoções. Mana 8(2): 69-89, 2002.

Rio Grande do Norte. Secretaria Estadual de Planejamento e Controle de Serviços de Saúde. Plano Estadual de Saúde 2012-2015. Natal, 2013.

Rio Grande do Norte. Secretaria Estadual de Planejamento e Controle de Serviços de Saúde. Plano Estadual de Saúde 2010-2011. Natal, 2010.

Rio Grande do Norte. Secretaria Estadual de Planejamento e Controle de Serviços de Saúde. Plano Estadual de Saúde 2016-2019. Natal, 2016.

SAHLINS, Marshall. What Kinship is – and what is not. Chicago: University of Chicago Press, 2013.

SPINELLI, José A. Rio Grande do Norte 2000-2013. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2014.

STRATHERN, Marilyn. 2011. What is a parent? HAU: Journal of Ethnographic Theory. 1(1): 245-278.

WESTON, Kath. Families we choose: lesbians, gays, kinship. New York: Columbia University Press, 1991.

WOLF, Eric. Aspectos das relações de grupos em uma sociedade complexa: México; Parentesco, amizade e relações patrono-cliente em sociedades complexas. In: FELDMAN-BIANCO, Bela; RIBEIRO, Gustavo L. (Orgs.). Antropologia e poder. Contribuições de Eric Wolf. Brasília: Editora da UnB; São Paulo: Imprensa Oficial; Campinas: Editora da Unicamp, 2013.




DOI: https://doi.org/10.15210/norus.v5i8.12509

Direitos autorais 2018 Autor e Revista

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2318-1966 

Indexadores nacionais: Sumários.orgDiadorimGoogle Scholar

Indexadores internacionais: Bibliothek Universitat Hamburg;Citeulike; DOAJLatindex; Mendeley; REDIB; Research Gate; ROAD; WorldCat

 

Apoio: