Compósitos poliméricos reforçados com fibras naturais utilizando diferentes variações de granulometria

Juliana Neumann Seixas, Jonas Eichelberger Granada, Caio César Nogueira de Melo, Gabriela Escobar Hochmuller da Silva, Fabio Roberto Passador, Gabriel Monteiro Cholant, Amanda Dantas de Oliveira, Cesar Augusto Gonçalves Beatrice, Margarete Regina Freitas Gonçalves, Neftali Lenin Villarreal Carreño

Resumo


As fibras naturais se mostram vantajosas na utilização em compósitos por possuírem baixa massa específica, baixa abrasividade, custo reduzido, serem biodegradáveis e possuir caráter autossustentável, uma vez que sua fonte é renovável e, no ponto de vista comercial, tem resultados bastante promissores. As fibras utilizadas neste trabalho foram separadas conforme sua granulometria e o compósito foi preparado utilizando o polipropileno como matriz polimérica e foi utilizada a concentração de 10% de fibra para todas as variações granulométricas. Os compósitos foram caracterizados através de análise termogravimétrica, a qual mostrou que a adição da fibra na matriz polimérica melhora a estabilidade térmica do material, especialmente as fibras de menor granulometrias. Através das curvas da derivada da variação de massa foi possível observar que a temperatura do ponto máximo do compósito reforçado com fibras menores chegou a aumentar aproximadamente 30°C quando comparado com o polímero puro. Além disso, os materiais compósitos e o polímero puro foram caracterizados por calorimetria exploratória diferencial, ensaios de tração e microscopia eletrônica de varredura. Os ensaios de tração mostraram uma redução de aproximadamente 20% da tensão máxima suportada, o que poderia ser explicado pela fraca adesão entre fibra e matriz.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/rbes.v5iEsp.14403