RESTRIÇÃO HÍDRICA ATRAVÉS DE DIFERENTES AGENTES OSMÓTICOS: EFEITO NA QUALIDADE DE SEMENTES DE SOJA

Lizandro Ciciliano Tavares, André Pich Brunes, André Oliveira Mendonça, Jerffeson Araujo Cavalcante, Géri Eduardo Meneghello

Resumo


A limitação de água durante a germinação pode diminuir a velocidade da germinação ou até mesmo impedi-la, já que a água é fundamental no processo de ativação metabólica na retomada do crescimento do embrião. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de agentes e potencias osmóticos na germinação de sementes de soja. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizados em esquema fatorial 5x4 (cinco agentes indutores e quatro concentrações osmóticas), sendo os agentes indutores o PEG 6000, manitol, cloreto de sódio, cloreto de cálcio, e cloreto de magnésio, e os potenciais osmóticos de 0; -0,3; -0,6; e -0,9 MPa, com quatro repetições. Foi avaliado a primeira contagem de germinação, germinação, plântulas normais e sementes mortas. Conclui-se que a germinação de sementes de soja reduz com o aumento da restrição hídrica e todos os solutos estudados afetam o vigor das sementes. A solução de manitol é a menos drástica na germinação e no número de plântulas anormais em potenciais até -0,9 MPa, já a solução de PEG 6000 é mais prejudicial na viabilidade de sementes de soja.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/rbes.v5i2.14545