CONFIGURAÇÕES DO HOMOEROTISMO NAS REVISTAS O MALHO E RIO NU

Ronaldo Soares Farias

Resumo


O presente artigo pretende discutir, de forma comparatística, as charges Fresca Theoria (Requerimento) e Escabroso, publicadas na revista O Malho em 1903 e 1904, respectivamente, e o conto O menino do Gouveia, de Capadócio Maluco, publicado em 1914, em fascículos, na revista Rio Nu. As charges e textos, de cunho homoerótico, sugerem um público leitor homossexual, embora as revistas fossem destinadas, a priori, ao público heterossexual. O objetivo deste estudo é analisar como as configurações homoeróticas surgem nas revistas e como elas abordam a sexualidade masculina em um período em que a sociedade burguesa reprimia as publicações pornográficas relacionadas à homossexualidade. Como referencial teórico, serão utilizadas as seguintes obras: Além do carnaval: homossexualidade masculina no Brasil do século XX, de James Green (2000); Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil da colônia à atualidade, de João Silvério Trevisan (2018); História da Sexualidade I: vontade saber, de Michel Foucault (1988), entre outras.

Palavras-chave: Revistas; O Malho; Rio Nu; sexualidade; homoerotismo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/cdl.v0i34.16630



Caderno de Letras integra a rede LATINOAMERICANA - Asociación de Revistas Literarias y Culturales 

__________________________________________________________________ 

A Caderno de Letras está indexada nas seguintes bases: