CONTAGEM E CONTAÇÃO: NOTAS SOBRE O CONTAR O TEMPO NA MODERNIDADE

Tomaz Amorim Izabel

Resumo


A intenção do ensaio é propor uma distinção entre dois modos de contar o tempo a partir de sua experiência na Modernidade e sua relação intrínseca com as transformações dos modos de produção-percepção. Como os modos de contar são, em sentido amplo, assunto de disciplinas diversas, a abordagem escolhida é multidisciplinar, acolhe reflexões e passagens tanto de textos literários, quanto de reflexões teóricas do campo da História. A distinção proposta entre contagem e contação leva em conta o processo de “modernização” global e os espaços e momentos de resistência a esta modernização. Nestes últimos espaços reside, seja através de sua versão tradicional, seja através de sua versão mais modernista, o que se chamará aqui de contação, um modo de experienciar e expressar o tempo que não se submete completamente à lógica numérica e seriada instaurada a partir do tempo da fábrica como temporalidade normativa.

Palavras-chave: Modernidade; escrita da história; teoria literária.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/cdl.v0i34.16999



Caderno de Letras integra a rede LATINOAMERICANA - Asociación de Revistas Literarias y Culturales 

__________________________________________________________________ 

A Caderno de Letras está indexada nas seguintes bases: