A Língua Brasileira de Sinais no cenário das licenciaturas

Patrícia Grãff

Resumo


A presente pesquisa tomou a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como objeto de estudo e pretendeu identificar se e como ela vem sendo ofertada na forma de componente curricular nas instituições de Ensino Superior. Inspirada nos Estudos Foucaultianos e usando o discurso como ferramenta metodológica, pautou-se em uma busca nas páginas eletrônicas de instituições de Ensino Superior à procura de matrizes curriculares e ementas. Os dados da pesquisa permitiram concluir que todas as instituições de Ensino Superior pesquisadas ofertam a Libras como componente curricular obrigatório para as licenciaturas. Da análise das ementas depreende-se que se apresentam de forma heterogênea, concentrando-se nas discussões sobre os aspectos linguísticos da Libras; a história de sua constituição e as concepções de cultura e identidade surdas. Perifericamente, discutem a ênfase inclusiva para a educação de surdos; possibilitam práticas de conversação e apresentam o SignWriting.


Palavras-chave


Língua Brasileira de Sinais; licenciatura; disciplina; políticas educacionais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/caduc.v0i62.19149