Conciliando antropologia e arqueologia para uma abordagem dos processos de reconciliação e reparação dos povos indígenas

Clarisse Drummond Martins Machado, Frederico Oliveira

Resumo


Neste artigo defendo a conciliação da antropologia e da arqueologia em prol de uma mais completa compreensão e abordagem dos processos voltados à "reconciliação" e à "reparação" dos povos indígenas no Brasil e no Canadá e esboço os motivos que me levaram a considerar a reaproximação destes dois campos, hoje um tanto quanto distanciados, como vantajosa para atrair o interesse dos jovens e aumentar a colaboração participativa dos indígenas nestas pesquisas.

Palavras-chave


Indigenismo; reparação; dívida histórica; reconciliação

Texto completo:

PDF

Referências


BAINES, Stephen. Organizações indígenas e legislações indigenistas no Brasil, na Austrália e no Canadá. Rio de Janeiro: Arquivos do Museu Nacional, Volume 61, número 2, p. 115 – 128, abril/junho, 2003.

BRAUDEL, Fernand. “História e ciências sociais: a longa duração”. In: BRAUDEL, F. Escritos sobre a história. São Paulo: Perspectiva, 1992. (Publicado originalmente in Annales E. S. C., n. 4, 1958).

BUTTERS, Luis Jaime Castillo. “Drones y modelos 3D en el registro y la gestión Del patrimonio cultural: arqueologia desde el aire”. In: Drones, Fotogrametria y Modelamiento 3D en Arqueologia. Gaceta Cultural Nº 46. Lima, 2014.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. O Trabalho do Antropólogo. Brasília/ São Paulo: Paralelo Quinze/Editora da Unesp, 1998.

HAMILTON, Scott. “A world apart?: Ontario’s canadian shield”. In: Before Ontario: the archaeology of a province. Edited by Marit K. Munson and Susan M. Jamieson, McGill-Queen's University Press, pp. 77–96, 2013.

HEINRICHS, Marj; HIEBERT, Diane; whith the people of Mishkeegogamang. Mishkeegogamang: the land, the people and the purpose. The story of Mishkeegogamang Ojibway nation. Rosetta Projects, second printing, 2009.

KOSELLECK, Reinhart. Estratos do tempo: estudos sobre história. Rio de Janeiro: Contraponto/Editora PUC/Rio, 2014.

MARINI, Ruy Mauro. “En torno a dialéctica de la dependencia” (postscriptum) (1973). In: América Latina, dependencia y globalización. Fundamentos conceptuales Ruy Mauro Marini. Antología y presentación Carlos Eduardo Martins. Bogotá: Siglo del Hombre. CLACSO, 2008.

PEIRANO, Mariza. “A antropologia como Ciência Social no Brasil”. In: Etnográfica, Vol. IV (2), PP. 219-232, 2000.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. LANDER, Edgardo (org.). Buenos Aires: Conselho Latino-americano de Ciências Sociais – CLACSO, 2005.

RIBEIRO, Heidi Michalski; URT, João Nackle. “Direito indigenista nas constituições do Brasil e Canadá: um estudo comparado”. In: Revista da Faculdade de Direito da UFRGS, Porto Alegre, n. 36, vol. esp., p. 182 – 202, out. 2017.

SCHAAN, Denise Pahl. “Arqueologia para etnólogos: colaborações entre arqueologia e antropologia na Amazônia”. In: Anuário Antropológico [Online], II | 2014, consultado em 26.06.2018. Disponível em: http://journals.openedition.org/aa/1243.

TEÓFILO DA SILVA, Cristhian. “Identificação étnica, territorialização e fronteiras: a perenidade das identidades indígenas como objeto de investigação antropológica e a ação indigenista”. In: Revista de Estudos e Pesquisas, FUNAI, Brasília, v. 2, N. 1, PP. 113-140. 2005.

TOBIAS, Terry N. Chief Kerry`s Moose. A Guidebook to Land Use and Occupancy Mapping, Research Design, and Data Collection. Vancouver: Union of British Columbia Indian Chiefs and Ecotrust, Canada. 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/interfaces.v18i2.13874

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN eletrônico: 1984-5677

ISSN impresso: 1519-0994