Transletramentos em estágio de professores de inglês em pré-serviço: foco na construção de sentido

Nara i Hiroko Takak

Resumo


Apesar de haver várias publicações sobre pedagogias, práticas de ensino-aprendizagem de língua inglesa no Brasil e no Canadá, acreditamos que as epistemologias educacionais que mais especificamente fundamentam tais trabalhos podem ser ressignificadas de acordo com contextos que são fortemente influenciados pela globalização e pelas novas tecnologias. Assim, investigamos como professores em pré-serviço em duas universidades brasileiras constroem sentido em programas de estágio supervisionado de língua inglesa nas escolas públicas. O objetivo deste trabalho é apresentar a ubiquidade das percepções críticas e a capacidade de transformar conhecimento e práticas convencionais em saberes e práticas mais expandidas em ambientes educacionais e sociais. Os transletramentos são conhecimentos construídos em meio às renegociações de perspectivas linguísticas, culturais, educacionais, poder e contingências. A metodologia é qualitativa, intersubjetiva e colaborativa. As práticas sociais dos participantes e os referenciais teóricos dos pesquisadores são considerados. A importância das problematizações teórico-práticas e a agência dos pesquisadores são destacadas.

Palavras-chave


Transliteracies; Pre-service-teachers; Internship in English language; Meaning making

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALARCÃO, I. Professores Reflexivos em Uma Escola Reflexiva. São

Paulo. Editora Cortez, 2003.

ANTUNES, I. Língua, texto e ensino: outra escola possível. São Paulo:

Parábola Editorial, 2009.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 9. ed. São Paulo:

Hucitec, 1999.

BHABHA, H. The Location of Culture. Londres, Nova Iorque:

Routledge, 1994

BIESTA, G. The beautiful risk of education. Boulder and London:

Paradigm Publishers, 2013.

BRASIL. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Linguagens,

Código e suas Tecnologias. Brasília: Ministério da Educação e Cultura,

Secretaria de Educação Básica, 2006.

BRYDON, D. Desenvolvendo letramento transnacional por meio do ensino

do inglês. In: TAVARES, R. R.; BRYDON, D. Letramentos transnacionais.

Mobilizando conhecimento entre Brasil/Canadá. Edufal: 2013. p. 20-38.

CANAGARAJAH, A. S. Reconstructing Local Knowledge,

Reconfiguring Language Studies. In: CANAGARAJAH, A.S (Ed.).

Reclaiming the local in language policy and practice. New York:

Routledge, 2005.

COPE, B., KALANTZIZ, M. (Eds.) Multiliteracies. Literacy learning

and the design of social futures. London, New York: Routledge.2000.

DENZIN, N.; LINCOLN, Y. S. (Eds.) The landscape of qualitative research: theories and issues. London, New Delhi: Sage Publications,

DIAS, R. WebQuests: Tecnologias. Multiletramentos e a formação do

professor de inglês para a era do ciberespaço. Belo Horizonte/MG.

UFMG. In: Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 1, n. 1, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da tolerância. São Paulo: Editora da UNESP,

GEE, J. P. Situated language and learning: a critique of traditional

schooling. New York: Routledge, 2004.

GEERTZ, C. The Interpretation of Cultures: Selected Essays. New York:

Basic, 1973.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução por:

Tomaz T. da Silva e Guacira L. Louro. Rio de Janeiro: DP&A Editora,

IFA, S. A Formação pré-serviço de professores de língua inglesa em

uma sociedade em processo de digitalização. Tese de Doutorado inédita.

Programa Linguística Aplicada e Ensino de Línguas. São Paulo, PUC-SP,

KALANTZIS, Mary; COPE, Bill. Literacies. Cambridge, UK:

Cambridge University Press, 2012.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. The semiotic landscape. Language

and visual communication. In: Reading images, the grammar of visual

design, 1996. p. 15-42.

LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. New Literacies: changing knowledge

and classroom learning. 2. ed. Buckingham: Open University Press,

MENEZES DE SOUZA, L. M. T. Para uma redefinição de letramento

crítico: conflito e produção de significação. In: MACIEL, R. F.; ARAUJO, V. A. (Orgs.). Formação de professores de línguas: ampliando

perspectivas. Jundiaí: Paco Editorial, 2011.

__________________________. Hibridismo e Tradução Cultural

em Bhabha. 2004. Available in < http://www.academia.edu/342689/

Hibridismo_e_Traducao_Cultural_em_Bhabha>. Access in: 17 april,

MIGNOLO, W. The darker side of western modernity: global futures,

decolonial option (Latin America otherwise). Durham: Duke University

Press, 2011.

MONTE MÓR, W. Crítica e letramentos críticos: reflexões preliminares.

In: ROCHA, C. H.; MORGAN, B. “Leitura errada” de paródia em um

curso de inglês para fins acadêmicos: implicações para os letramentos

transnacionais? In: BRYDON, D.; TAVARES, R. R. (Eds.) Letramentos

Transnacionais: Mobilizando o conhecimento entre Brasil/Canada.

Maceió, Brasil: EDUFAL, Federal University of Alagoas Press, 2013. p.

-94.

NÚCLEO de Assessoria Pedagógica da Universidade Federal do Paraná.

Uma breve introdução ao letramento crítico. Available in: http://pt.scribd.

com/doc/7965991/letramentocritico. 2006. Access in: Nov 03, 2013.

OKAZAKI, T. Critical consciousness and critical language teaching. In:

Second Language Studies, 23 (2), Spring 2005. p. 174-202.

Open Spaces for Dialogue and Enquire. 2005. OSDE Methodology.

Disponível em: www.osdemethodology.org.uk. Accessed February 20,

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência: diferentes

concepções. Revista Poíesis, vol. 3, n. 3 e 4, p. 5-24, 2005/2006.

RANCIÈRE, J. Dissensus: on politics and aesthetics. Translated by

Steven Corcoran. Delhi: Bloomsbury Academic, 2010.

ROCHA, C. H.; MACIEL, R. F. (Orgs.) Língua estrangeira e formação cidadã: Por entre discursos e práticas. Campinas: Pontes Editores, 2013.

SANTOS, B. S. (Ed.) Another knowledge is possible. Beyond

Northern Epistemologies. London, New York: Verso, 2008.

SCHÖN, D. A. Formar Professores como Profissionais Reflexivos. In:

NÓVOA, António, (Org.). - Os professores e a sua formação. Lisboa:

Dom Quixote, 1995, p.77-91.

TAKAKI, N. H. Letramentos na sociedade digital: navegar é e não é

preciso. Jundiaí: Paco Editorial, 2012.

THOMAS, C. J.; LACCETTI, J.; MASON, B.; MILLS, S.; PERRIL, S.;

PULLINGER, K. Transliteracy: Crossing divides. Available in< http://

journals.uic.edu/ojs/index.php/fm/article/view/2060/1908>. Access: 18 de out. 2007.




DOI: https://doi.org/10.15210/interfaces.v14i2.6737

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN eletrônico: 1984-5677

ISSN impresso: 1519-0994