Histórico do periódico

A adoção do nome, Paralelo 31, refere-se não somente às associações a seu significado geográfico e à localização da cidade de Pelotas, RS. O nome foi tomado de empréstimo do projeto “reverberações da arte contemporânea”, realizado em Pelotas, de 2009 a 2012. Com este projeto, Adriane Hernandez, artista e professora do PPGAV da UFPEL, juntamente com outros dois artistas elege Paralelo 31 como conceito operatório para realizar a curadoria de uma série de exposições coletivas e simultâneas, em espaços alternativos da cidade, inaugurando um circuito paralelo para circulação da arte contemporânea. A partir daquele momento, pode-se afirmar que, ao nome Paralelo 31, são acrescidos novos sentidos relacionados à cartografia da arte contemporânea da região. A Revista, teve seus primeiros números sob a responsabilidade editorial da Profª. Drª. Lúcia Bergamaschi Weymar, na sequência a Profª.Drª. Renata Azevedo Requião e atualmente trabalhamos como equipe editoral compartilhada com a composição das Profªs. Drªs. Alice Jean Monsell, Eduarda Gonçalves, Eleonora Campos da Motta Santos, Helene Gomes Sacco, responsáveis também pela migração da mesma para o Portal de Pediódicos da UFPEL (plataforma SEER). A partir de 2017, as edições da revista Paralelo 31 passam a ser regidas pelas normas de submissão do sistema SEER.