AS MUDANÇAS NA GÊNESE DA FORMA CONTEMPORÂNEA: ANÁLISE DO PROCESSO DE PROJETO NA OBRA DE FRANK GEHRY

Ana Elisa Souto

Resumo


O artigo apresenta uma reflexão sobre a definição de modernidade líquida de Zygmunt Bauman e a conceituação de arquitetura líquida de Ignasi de Solà-Morales. O texto também relaciona os conceitos de Vilém Flusser e o artigo de Rafael Moneo, que trata da fragmentação e da desconstrução em arquitetura. A metodologia de projeto de Gehry revela que o arquiteto integra as lógicas projetuais analógicas e as digitais. Seu trabalho inclui tendências artísticas transpostas em sua essência formal nos croquis iniciais e exequíveis através de softwares de última geração. O aporte teórico é fundamental para compreender as alterações na gênese das formas possibilitadas pela tecnologia na produção arquitetônica contemporânea, através da análise da obra de Frank Gehry.

Palavras-chave: práticas discursivas, tecnologia, processo de projeto, Frank Gehry .


Texto completo:

82-105

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 PIXO - Revista de Arquitetura, Cidade e Contemporaneidade

 

 

INDEXADORES e DIRETÓRIOS 

ARLA

DIADORIM

DOAJ

DOI

EBSCO

ERIH PLUS

GOOGLE SCHOLAR

LATINDEX

LIVRE

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES

PORTAL DE PERIÓDICOS UFPEL

REDIB

SUMÁRIOS.ORG

 

 

contador