PARAMETRIA COMO IMPULSO À METACOGNIÇÃO: ENTRE A APRENDIZAGEM FORMAL E A AUTOAPRENDIZAGEM PARA A PRÁTICA DE PROJETO DE ARQUITETURA

Fernando de Azevedo Valente

Resumo


Este estudo problematiza o emprego da parametria junto ao projeto de arquitetura a partir de um relato de experiência formativa. Para abordar este tema, parte-se do exemplo do método empregado por Bjark Ingels para projetar o Serpentine Pavilion, Londres. Logo, é relatado um processo de aprendizagem formal em desenho paramétrico junto a disciplinas de graduação em arquitetura e um processo paralelo de autoaprendizagem, os quais motivaram a participação no Concurso Parklet 4.0/Portal Projetar. O exercício de metacognição é realizado com apoio em uma análise qualitativa dos projetos sob parâmetros que caracterizam um sistema generativo. Acrescenta-se uma análise quantitativa das propostas enviadas ao concurso, para contextualizar a experiência relatada. As reflexões derivadas  situam tal experiência frente à prática profissional e acadêmica de arquitetura, e podem contribuir, quando somadas a outros relatos, para a construção de um panorama brasileiro, sobre a abordagem na aprendizagem do tema parametria no projeto de arquitetura.

Palavras-chave: desenho paramétrico, aprendizagem, metacognição, metodologia de projeto.


Texto completo:

106-125


DOI: https://doi.org/10.15210/pixo.v5i17.20133

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 PIXO - Revista de Arquitetura, Cidade e Contemporaneidade

 

 

INDEXADORES e DIRETÓRIOS 

ARLA

DIADORIM

DOAJ

DOI

EBSCO

ERIH PLUS

GOOGLE SCHOLAR

LATINDEX

LIVRE

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES

PORTAL DE PERIÓDICOS UFPEL

REDIB

SUMÁRIOS.ORG

 

 

contador