Quando a Política entra no Cotidiano: a atuação do DOPS em um caso no interior de São Paulo

Filipe Botelho Soares Dutra Fernandes, Marcia Naomi Kuniochi

Resumo


Este artigo apresenta uma ação da ditadura militar que ocorreu longe dos centros urbanos. A morte de Altair Gonçalves Nunes e Maria Paula, em Palmeira d’Oeste, aos 19 dias do mês de agosto de 1971, é um exemplo atípico de ação da ditadura militar que se passou em uma pequena cidade de pouco mais de 15 mil habitantes na região noroeste do Estado de São Paulo. Fugindo de ações ocorridas em São Paulo na semana anterior, o casal procura no isolamento da zona rural um local seguro para se esconder dos agentes da repressão. Com base nos escritos de Philippe Ariés, é feita uma análise sobre a “politização da vida privada”, que levou o ser humano para fora de seu âmbito familiar, de modo a tentar entender como a população de Palmeira d’Oeste pode ter visto o que se passou no território da cidade, uma vez que a morte do casal fez com que os moradores se deparassem com acontecimentos político-sociais que são característicos da sociedade moderna. Durante a pesquisa para a elaboração deste trabalho, chegou-se até a ficha do DOPS de Odair Antonio Trindade, identificado como membro do Partido Operário Comunista. A partir daí, foi analisada a história do partido e como seus integrantes divergiam sobre ações de luta armada como as que levaram Altair a Maria Paula a fugir para o interior.

Palavras-chave


Ditadura Militar; Luta Armada; Politização do Cotidiano; Palmeira d’Oeste; Partido Operário Comunista.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/rsulacp.v5i1.16114

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.15210/rsulacp.v5i1.16114.g10510

Indexação: Clase - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades; DOAJ; Latindex.

 

Esta revista é de acesso livre. This journal is open access.

ISSN 2317-5338

 


shared hosting