Efeitos da COVID-19 no mercado de empregos formais no Rio Grande do Sul no ano de 2020: um estudo a partir dos dados do CAGED

Eduardo Schumann, Tiaraju Salini Duarte

Resumo


Em razão dos esforços dos poderes públicos em criar diretrizes de enfrentamento a COVID-19 e amenizar os impactos negativos nas estruturas de saúde, o Rio Grande do Sul sofreu uma brusca queda nos indicadores econômicos a partir do mês de março. Este impacto pode ser observado no balanço dos empregos formais nos municípios, derivado em grande medida do empenho da sociedade em manter o isolamento social, o que propiciou a recessão de alguns setores da economia, ocasionando demissões de trabalhadores em várias escalas. Tendo em vista a crise mundial da COVID-19 e as implicações nos diversos setores econômicos, este artigo tem como objetivo analisar os impactos da pandemia ocasionada pelo Sars-Cov-2 nos empregos formais no Rio grande do Sul. Observa-se que a presente crise aproxima-se da recessão do ano de 2015 e provoca acentuadas desigualdades regionais na produção de empregos no estado do Rio Grande do Sul, principalmente nas regiões mais populosas. Como base metodológica, utilizou-se dados do Cadastro geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do acumulado até o mês de agosto de 2020.


Texto completo:

PDF