SECAGEM INTERMITENTE E ARMAZENAMENTO DE AVEIA CULTIVAR UPFA 20 TEIXEIRINHA

Moacir C. ELIAS, Luiz Gutkoski, Daniel Simoni, Carolina Dauner, Fernando Pagnussatt, Mauricio Oliveira

Abstract


Objetivou-se, com o trabalho, avaliar efeitos da temperatura do ar de secagem e do grau de umidade final sobre a conservabilidade e a qualidade industrial de grãos de aveia armazenados em sistema convencional por oito meses. Grãos de aveia do cultivar UPFA 20 Teixeirinha, produzidos no Campo Experimental da Palma da UFPel, na safra agrícola de 2003/2004, foram submetidos à secagem intermitente até umidades de 11, 13 e 15%, com ar em três temperaturas (60, 85 e 110ºC), na relação de intermitência de 1:3, constituindo delineamento inteiramente casualizado, com nove tratamentos. Ao longo de oito meses de armazenamento foram avaliados teor e acidez de lipídios, composição em ácidos graxos, umidade, peso do hectolitro, contaminação fúngica e incidência de micotoxinas. Os resultados foram analisados estatisticamente pelo emprego da análise de variância e, nos modelos significativos, as médias foram comparadas entre si pelo teste de Duncan a 5% de probabilidade de erro. A secagem intermitente com ar em temperatura de até 85+5 ºC e umidade de armazenamento até 13% é um método eficaz na conservação de aveia branca. Grãos com umidade superior a 13% apresentam conservação satisfatória quando armazenados em condição ambiental com temperatura controlada de 18+2 ºC. A redução do teor de lipídios e o aumento da acidez durante o armazenamento são maiores em grãos secos com ar a 110+5 ºC e armazenados com umidade de 15%.

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18539/cast.v13i2.1363