Chamada de artigos Dossiê: Etnografias sociológicas de um mundo do trabalho reconfigurado

A NORUS – Novos Rumos Sociológicos, revista acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pelotas, convida pesquisadores da Sociologia e áreas afins para o envio de artigos inéditos para o dossiê: Etnografias sociológicas de um mundo do trabalho reconfigurado. Dossiê organizado por Pedro Robertt Professor Adjunto da Universidade Federal de Pelotas, atuando no Programa de Pós-graduação em Sociologia (PPGS) e no Programa de Pós-graduação em Ciência Política (PPGCPol), Pedro Lisdero Professor da Universidad Nacional de Villa María, Co-director del "Programa de Estudios sobre Acción Colectiva y Conflicto Social" (CIECS – CONICET y UNC), Director de Estudios Sociológicos Editora (ESEditora – CIES) e Elizardo Scarpati Costa, Professor Adjunto de Sociologia do Instituto de Ciências Humanas e da Informação (ICHI) e do Mestrado em Direito e Justiça Social (PPGD) da Universidade Federal de Rio Grande (FURG).

No decorrer do século XX, o trabalho foi considerado como uma categoria de análise de extrema relevância, às vezes tendo uma centralidade societária em termos ontológicos e em outras mostrando sua pertinência específica como categoria histórica das sociedades capitalistas, tanto avançadas como menos desenvolvidas.

No final da segunda década do século XXI, tal categoria continua se mostrando como um elemento referencial de constituição das sociedades contemporâneas.  De fato, nas últimas décadas, diversas categorias têm sido mobilizadas para interpretar as mutações das sociedades em geral, tendo o trabalho como referência, tais como as de flexibilização, precarização e terceirização.  Por sua vez, assistimos atualmente no nível nacional e mundial, a novas reconfigurações do mundo do trabalho, nas quais as forças capitalistas alavancadas pelos governos nacionais (tanto nos países capitalistas centrais quanto periféricos) conseguem impor propostas de maior flexibilização das relações de trabalho em que se combinam, de forma diversa, desregulamentação, externalizações e precarização.

Nesse contexto, os estudos etnográficos emergem como uma potente ferramenta analítica e metodológica para se repensar o trabalho, permitindo elaborar novas categorias de análise, estudar de forma aprofundada as reconfigurações do trabalho e, principalmente, captar o ponto de vista dos trabalhadores.

O dossiê proposto aqui aponta a reunir diferentes pesquisas nacionais e internacionais que enfoquem o trabalho desde a abordagem etnográfica, olhando de perto a experiência de vida dos próprios trabalhadores e dando novos insumos para interpretar as sociedades contemporâneas.

Data limite de submissão: 25 de maio de 2018.

Previsão de publicação do dossiê: agosto de 2018.

Mais informações: revnorus@gmail.com