Edições anteriores

  • Dossiê Etnografias sociológicas de um mundo do trabalho reconfigurado
    v. 6 n. 9 (2018)
    No decorrer do século XX, o trabalho foi considerado como uma categoria de análise de extrema relevância, às vezes tendo uma centralidade societária em termos ontológicos e em outras mostrando sua pertinência específica como categoria histórica das sociedades capitalistas, tanto avançadas como menos desenvolvidas.No final da segunda década do século XXI, tal categoria continua se mostrando como um elemento referencial de constituição das sociedades contemporâneas.  De fato, nas últimas décadas, diversas categorias têm sido mobilizadas para interpretar as mutações das sociedades em geral, tendo o trabalho como referência, tais como as de flexibilização, precarização e terceirização.  Por sua vez, assistimos atualmente no nível nacional e mundial, a novas reconfigurações do mundo do trabalho, nas quais as forças capitalistas alavancadas pelos governos nacionais (tanto nos países capitalistas centrais quanto periféricos) conseguem impor propostas de maior flexibilização das relações de trabalho em que se combinam, de forma diversa, desregulamentação, externalizações e precarização.Nesse contexto, os estudos etnográficos emergem como uma potente ferramenta analítica e metodológica para se repensar o trabalho, permitindo elaborar novas categorias de análise, estudar de forma aprofundada as reconfigurações do trabalho e, principalmente, captar o ponto de vista dos trabalhadores.O presente dossiê reune diferentes pesquisas nacionais e internacionais que enfocam o trabalho desde a abordagem etnográfica, olhando de perto a experiência de vida dos próprios trabalhadores e dando novos insumos para interpretar as sociedades contemporâneas.
  • A dinâmica das relações raciais: dados, abordagens e intersecções
    v. 4 n. 5 (2016)
    Nesse dossiê, organizado pela Profª Luciana Garcia Mello – UFRGS e pelo Profº Marcus Vinícius Spolle - PPGS/UFPEL, professores e pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande Sul (UFRGS) e da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), destaca-se a diversidade de temas em trabalhos que abordam questões relativas à dinâmica das relações raciais na sociedade brasileira, bem como casos argentinos.
  • Dossiê Sexualidades, Intersecções e Mídias
    v. 3 n. 3 (2015)
    Esse dossiê contém artigos que trabalham com as teorias em interseccionalidades para analisar as mídias e as formas contemporâneas de sexualidade. Os textos que seguem se caracterizam por fazer não apenas isso, mas por trazerem a contribuição de pesquisas que lidam com mídias para analisar aspectos centrais nas relações sociais, como as dimensões da intimidade, afetos, representações, em formas dissidentes à heteronormatividade, a partir de personagens que desafiam, inclusive, os modos como pensamos as relações de poder a partir da influência das mídias.
  • Dossiê Sociedade, Ciência e Tecnologia
    v. 2 n. 2 (2014)
    Os artigos deste dossiê estão organizados sob a temática dos estudos sociais da ciência e da tecnologia - ESCT. A composição deste conjunto de artigos na revista Novos Rumos Sociológicos - NORUS nasceu de discussões suscitadas por problemas conceituais e metodológicos das relações entre as ciências sociais e a produção científica e tecnológica durante o III Encontro Internacional de Ciências Sociais – III EICS, realizado em Pelotas, RS, Brasil. A importância de tais estudos se dá pela influência que a tecnologia e a informação científica têm em todas as instâncias da vida contemporânea, de forma a praticamente não se fazer mais desembaraçada das formas de ação diária. E, por isso, não se sentir presente na rotina das pessoas (a não ser quando de panes técnicas), justamente por sua ubiquidade. Cada vez mais as mediações entre pessoas e coisas passam necessariamente por um curso regular de ações e ajustes tecnológicos, implicando, pelo lado das ciências sociais, em pensar soluções teóricas sobre distinções entre formas de ação da clássica divisão sujeito/objeto, a existência arbitrária do ponto de ruptura da diferenciação de saberes, as relações entre ativismo e posições científicas, as sensações e percepções decorrentes de novas realidades técnicas e como isso segmenta áreas disciplinares da ciência. 
  • ISSN 2318-3721 impresso - ISSN 2318-1966 online NORUS
    v. 1 n. 1 (2013)
    Nota dos Editores da NORUS Esta edição de lançamento da revista NORUS – Novos Rumos Sociológicos –  é mais um esforço de consolidação do Programa de Pós-Graduação (PPGS) em Sociologia, da Universidade Federal de Pelotas. Trata-se de um momento muito especial, para o Programa, pois estamos concretizando o objetivo de construção de um periódico de difusão de conhecimentos produzidos nos âmbitos nacional e internacional. O primeiro número inclui o Dossiê de Sociologia Econômica e das Finanças, organizado pelas pesquisadoras Marina de Souza Sartore (UFG) e Elaine da Silveira Leite(UFPel), além de artigos diversos da grande área das ciências sociais, em especial, da sociologia. Sua vocação dupla, para receber contribuições nacionais e estrangeiras e para divulgar pesquisas em áreas atuais, do conhecimento científico-social, constitui um destaque da política editorial que a NORUS pretende dar continuidade em cada número.Essa edição apresenta artigos de Michèle Lamont; Géssika Cécilia Carvalho; Marcela Purini Belem e Julio César Donadone; Davide Carbonai, Vinicius de Lara Ribas e Ronaldo Colvero; Deyanira Almazán; e Moisés Kopper, que compõem o Dossiê de Sociologia Econômica e das Finanças. O Dossiê é complementado por uma resenha do professor Roberto Grün da obra “The Oxford Handbook of the Sociology of Finance”, de 2012. Além disso, temos a tradução do primeiro capítulo do livro “Teoría y Métodos de la Investigación Social”, obra clássica de referência no ensino de metodologia na América Latina, do sociólogo norueguês Johan Galtung; a transcrição da aula inaugural proferida pelo sociólogo uruguaio Marcos Supervielle no PPGS (UFPel), em 2011; e os  artigos “Política e desenvolvimento no Brasil: a experiência do setor automotivo nos anos 1990” de José Carlos Martines Belieiro Júnior e “Uma análise do sistema de educação superior baseada na teoria dos sistemas sociais: o caso do Rio Grande do Sul” de Leandro Raizer.Agradecemos aos autores que confiaram na proposta acadêmica do periódico recém-criado, ao nosso Conselho Editorial, a todos os nossos colaboradores e, principalmente, aos pareceristas, que foram fundamentais para garantir a autenticidade e a rigorosidade acadêmica que a NORUS almeja, desde seu nascimento, levar adiante.Agradecemos também o apoio da Universidade Federal de Pelotas e da equipe editorial que colaborou na confecção desta edição. Desejamos uma boa leitura! Pedro RoberttElaine da Silveira Leite
  • Revista Novos Rumos Sociológicos (NORUS)
    v. 11 n. 20 (2023)
    Capa: Equipe Editorial NORUS. Obra da capa: Euro Montero