Indústrias criativas: ensaio sobre suas características e o comportamento do fluxo de comércio entre Brasil e Canadá de 2002 a 2011

Judite Sanson de Bem, Moisés Waismann, Nelci Maria Richter Giacomini

Resumo


Atividades que acontecem dentro de uma região, envolvendo recursos para serem produzidas, afetam a economia e se caracterizam por estruturas de produção distintas, com poderes maiores ou menores para determinar os preços e quantidades oferecidas. Algumas atividades apresentam direitos de propriedade, mas estes, muitas vezes, são negligenciados pelas Instituições em função do tamanho do mercado e do poder das empresas nele estabelecidas. Estas, entre outras características, são observadas nas indústrias criativas. Nestas há um crescente fluxo de comércio entre as diferentes regiões do mundo, trazendo reflexos no emprego e na entrada de divisas, movimentando o fluxo real e monetário da economia. Utilizando-se de dados da UNCTAD, órgão da ONU para o comércio exterior, o objetivo deste artigo é apresentar uma breve caracterização sobre o mercado das indústrias criativas e, posteriormente, mostrar os fluxos de comércio do Brasil e Canadá, no que se refere aos diferentes segmentos desta, entre 2002 e 2011. Conclui-se que há uma relação incipiente entre ambos, com disparidades visíveis em termos de produtos exportados e importados, mas no médio e longo prazo há possibilidades de ampliar estas relações, em função da capacidade e diversidade produtiva destes países.

Palavras-chave


Indústria Criativa; Fluxo de Comércio; Brasil; Canadá.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. W. ; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 1985.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Magia e técnica. Arte e política. São Paulo:

Brasiliense, 1994, vol.1

CAVES, Richard E. Creative industries: contracts between art and commerce. Cambridge:

Harvard University Press, 2000.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Ebooksbrasil, 2003. Disponível em: http://www.cisc.org.br/portal/biblioteca/socespetaculo.pdf. Acesso em jan. 2014.

FLORISSI, Stefano e WALDEMAR, Felipe Starosta de. Economia da Cultura: uma Revisão da Literatura. In: VALIATI, Leandro e FLORISSI, Stefano (Org.). Economia da Cultura; Bem-estar econômico e evolução cultural. Porto Alegre: EDUFRGS, 2007, p. 11-28.

HARTLEY, J (ed). Creative Industries. London: Blackwell Publishing, 2005.

KATZ, Jorge. Tecnologías de la Información y la Comunicación e Industrias Culturales. Una perspectiva Latinoamericana. Santiago de Chile: ONU, Junio 2006, Disponível em: http://www.cepal.org/SocInfo. Acessado em: 30/09/2009.

THE NATIONAL OFFICE FOR THE INFORMATION ECONOMY (NOIE). Creative industries cluster study. DCITA - http://ict-industry-reports.com/wp-content/uploads/sites/4/2013/10/2002-Creative-Industries-Cluster-Study-Report-Stage-1-DCITA.pdf

PORTUGAL, at all. Incentivo à Cultura e Efeitos Econômicos: análise da produção cinematográfica no Rio Grande do Sul. In: VALIATI, Leandro e FLORISSI, Stefano (Org.). Economia da Cultura; Bem-estar econômico e evolução cultural. Porto Alegre: EDUFRGS, 2007, p. 29-62.

ROODHOUSE, Simon. The creative industries definitional discourse. In: HENRY, Colette; BRUIN, Anne de. Entrepreneurship and the creative economy. Process, practice and policy. UK:Edward Elgar Publishing, Inc. 2011, p. 7-29.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC and CULTURAL ORGANIZATION (UNESCO). International flows of selected cultural goods and services, 1994-2003. Defining and capturing the flows of global cultural trade. Montreal: UNESCO, 2005, p. 11-55.

UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT (UNCTAD). Relatório de economia criativa 2010: economia criativa uma, opção de desenvolvimento. – Brasília : Secretaria da Economia Criativa/Minc; São Paulo : Itaú Cultural, 2012.

UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT (UNCTAD). UNCTADSTAT. Creative Economy. Disponível em: http://unctadstat.unctad.org/ReportFolders/reportFolders.aspx?sRF_ActivePath=p,10&sRF_Expanded=,p,10. Acessado: 30/09/2013.

VALIATI, Leandro e FLORISSI, Stefano. A Problemática da Captação: Relação entre os Incentivos Fiscais e a Gestão dos Recursos Públicos na Decisão Privada da Inversão Cultural. In: VALIATI, Leandro e FLORISSI, Stefano (Org.). Economia da Cultura; Bem-estar econômico e evolução cultural. Porto Alegre: EDUFRGS, 2007, p. 89 – 116.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/interfaces.v14i2.6741

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN eletrônico: 1984-5677

ISSN impresso: 1519-0994