De observador a membro integral: A lenta caminhada multilateral do Canadá em direção à OEA (1972-1990)

Tereza Cristina Nascimento Franca

Resumo


A política canadense tem vieses mais bilaterais do que multilaterais,
especialmente por não privilegiar qualquer organização internacional. O Canadá atua no espaço multilateral com um pragmatismo peculiar que o leva a desempenhar uma movimentação profundamente voltada para seu próprio raciocínio. Quando da criação da Organização das Nações Unidas, foi um dos fundadores, com presença marcada não somente pela feitura da Carta, mas também no âmbito do peacekeeping. Porém, o seu  comportamento não se repetiu em relação à Organização dos Estados Americanos, apesar de ela ser uma das mais antigas organizações regionais do mundo. Entre 1972 e 1990, o Canadá foi apenas um
observador. As intenções primárias deste artigo residem em analisar a importância do multilateralismo no cenário internacional, com foco na Organização dos Estados Americanos, em examinar o papel do Canadá em seus vinte anos como membro integral e ainda em tentar relacionar a sua decisão tardia em relação aos aspectos do multilateralismo de John Gerard Ruggie.


Palavras-chave


Canada; OEA; Baena Soares; Multilateralismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/interfaces.v13i1.7235

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN eletrônico: 1984-5677

ISSN impresso: 1519-0994