Mulheres em busca do reconhecimento artístico no Brasil e Canadá: De criminosas a poderosas construtoras da herança cultural

Lidiane Cunha

Resumo


As escritoras brasileiras e canadenses que conquistaram um espaço nas letras entre as décadas de 60 e 90 celebram a função da mulher como criadora artística, porém não são ingênuas. Helena P. Cunha, Lya Luft, Margaret Laurence e Margaret Atwood mostram que as bases culturais e governamentais de uma sociedade influenciam a capacidade das mulheres de buscarem uma profissão na indústria cultural de seu país e de se tornarem pintoras, escritoras, musicistas, conforme são percebidas pelos personagens secundários. Essas visões externas não são as mesmas nas narrativas brasileiras e canadenses, o que leva as personagens principais a vivenciarem seus papeis de artistas e a buscarem o sucesso em suas carreiras de formas extremamente diferentes. As artistas representadas nos romances brasileiros precisam confrontar as imagens negativas usadas pela sociedade para desvalorizar sua profissão, contudo, elas nem sempre conseguem superar suas barreiras culturais. As personagens canadenses também encontram desafios para alcançarem seu sucesso. Entretanto, a sociedade nas quais elas estão inseridas oferecem imagens mais construtivas sobre mulheres artistas do que as opiniões disseminadas nas narrativas brasileiras.


Palavras-chave: Estudos Interamericanos; romance de autoria feminina; representação da mulher artista; gênero e arte

Referências:

ALMEIDA, Sandra R. G. Expanding Boundaries: Traveling Theories in the Americas. Ilha do Desterro, n. 40, p. 43-59.

ATWOOD, Margaret. Cat’s Eye. New York: Anchor, 1988.

———. Survival: A Thematic Guide to Canadian Literature. Toronto: Anansi, 1972.

BELLEI, Sérgio L. P. O que é que a baiana tem: Comparativismo teórico Brasil-Canadá. In: ALMEIDA, Sandra R. G. (Org.) Interseções Brasil-Canadá: Perspectivas transnacionais. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2005. p.15-22.

BESNER, Neil. Beyond Two Solitudes, After Survival: Postmodern Fiction in Canada. Postmodern Studies, v. 6, 1992, p. 9-25.

CUNHA, Helena P. As doze cores do vermelho. 1988. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1998.

DALCASTAGNÈ, Regina. Imagens da mulher na narrativa brasileira. O Eixo e a roda, v. 15, p. 127-35.

DAVEY, Frank. Economics and the Writer. In: GERSON, Carole; MICHON, Jacques (Org.) History of the Book in Canada: 1918-1980. v. 3. Toronto: U of Toronto P, 2004. p. 103-113.

FITZ, Earl. Brazilian Narrative Traditions in a Comparative Context. New York: MLA, 2005.

GERSON, Carole. Anthologies and the Canon of Early Canadian Women Writers. In: MCMULLEN, Lorraine (Org) Re(dis)covering Our Foremothers: Nineteenth-Century Canadian Women Writers. Ottawa: U of Ottawa P, 1990. p. 55-76.

———. Canadian Women in Print 1750-1918. Waterloo, ON: Wilfrid Laurier UP, 2010.

GERSON, Carole; LUNEAU, Marie-Pier. Social and Cultural Profile of Writers. In: GERSON, Carole; MICHON, Jacques (Org.) History of the Book in Canada: 1918-1980. v. 3. Toronto: U of Toronto P, 2004. p. 93-100.

LAURENCE, Margaret. The Diviners. 1974. Toronto: Bantam, 1975. Print.

———. Dance on the Earth: A Memoir. Toronto: McClelland and Stewart, 1989.

LUFT, Lya. The Island of the Dead. Traudção Carmen C. McClendon and Betty J. Craige. Athens: U of Georgia P, 1986.

———. Masculino e feminino: Um possível reencontro. In: Sharpe, Peggy (Org.) Entre resistir e identificar-se: Para uma teoria da prática da narrativa brasileira de autoria feminina. Goiânia: Mulheres, 1997. p. 153-66.

———. O quarto fechado. 1984. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986. Print.

MCCLENNEN, Sophia A.; FITZ, E. Introduction to Comparative Cultural Studies and Latin America. CLCWeb v. 4, n. 2, 2002. Disponível em: Acesso em 4 jan. 2010.

MOISÉS, José A. Os efeitos das leis de incentivo. Biblioteca: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Disponível em Acesso em 20 jul. 2011.

PAYNE, Judith; FITZ, E. Ambiguity and Gender in the New Novel of Brazil and Spanish America: A Comparative Assessment. Iowa City: U of Iowa P, 1993.

SARAH, Robyn. A Double Life. In: COWAN, Shannon; LAM, Fiona T.; STONEHOUSE, Cathy (Org.) Double Lives: Writing and Motherhood. Montreal and Kingston: McGill-Queen’s UP, 2004. p. 36-49.

SCHMIDT, Rita Terezinha. Centro e margens: notas sobre a historiografia literária. Estudos de literatura brasileira contemporânea, v. 32, 2008, p. 127-41.

STEENMAN-MARCUSSE, Conny. Re-Writing Pioneer Women in Anglo-Canadian Literature. Amsterdam: Rodopi, 2001.

STOVEL, Nora F. Divining Margaret Laurence: A Study of her Complete Writings. Montreal and Kingston: McGill-Queen’s UP, 2008.

VIVASH, A. T. Trade Union for Artists. New Frontier, v. 2, n. 1, 1937, p. 22-23.


Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/interfaces.v13i2.7254

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN eletrônico: 1984-5677

ISSN impresso: 1519-0994