Racismo e Educação: A Temática Étnico-Racial em Foco em uma Universidade Pública

Edna Martins

Resumo


O trabalho apresenta o relato de uma experiência realizada em uma universidade pública de São Paulo, na perspectiva da educação para as relações étnico-raciais. Tal experiência  ocorreu por intermédio de um conjunto de atividades no âmbito de uma disciplina eletiva oferecida aos estudantes de vários cursos de um campus de humanidade, no segundo semestre de 2015. A metodologia utilizada consta de descrição de atividades promotoras de debates entre os alunos, além de depoimentos desses  graduandos dos cursos de licenciatura em história, pedagogia, filosofia e ciências sociais. Os resultados indicam a importância de implementação de políticas públicas capazes de possibilitar o desenvolvimento de programas de formação inicial e continuada de professores voltadas para discussões da temática das relações étnico-raciais como  um dos elementos chave  na luta pela garantia de uma perspectiva antirracista na Educação Básica, tendo em vista que tal temática tem sido fator de grande interferência nas interações escolares com impacto direto na construção de uma escola mais justa e igualitária para negros e brancos.

Palavras-chave: Educação das relações étnico-raciais. Formação inicial de professores. Lei 10.639. Racismo. Políticas Públicas.


Palavras-chave


Educação das relações étnico-raciais. Formação inicial de professores. Lei 10.639. Racismo. Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWICZ, A. et al. Imagens de crianças e infâncias: a criança na iconografia brasileira dos séculos XIX e XX. Perspectiva, Florianópolis, v. 29, n. 1, p. 263-293, 2011

ARAÚJO, J. Z. A negação do Brasil. O negro na telenovela brasileira. São Paulo: Senac, 2004.

ARAÚJO, J. Z. A força de um desejo – a persistência da branquitude como padrão estético audiovisual. Revista USP. Racismo II. São Paulo, n.69, p. 72-79, março/maio. 2006.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP nº 3/2004, aprovado em 10 de março de 2004. Instituiu Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Relatora: Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2014.

CASTRO, M. G. ; ABRAMOVAY, M. Relações Raciais na escola: reprodução de desigualdades em nome da igualdade. Brasília: UNESCO, 2006. v. 1. 370 p.

CAVALLEIRO, E. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. São Paulo: Contexto, 2000.

CECHIN, M. B. C.; DA SILVA, T. Uma bailarina pode ser negra? Crianças, bonecas e diferenças étnicas. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 14, n. 2, p. 610-627, 2014.

ELLIOTT, J. Olhos Azuis (Blue Eyes: all inone). Documentário. 170 min. 1996. Mais informações no website: www.janeelliott.com, acessado em 23 de janeiro de 2016.

FAZZI, R. de C. O drama racial de crianças brasileiras: socialização entre pares e preconceito. Belo Horizonte: Autentica editora, 2004. Prefácio, Introdução, caps. IV, V e

FERNANDES, F. (1965), A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo, Cia. Editora Nacional.

GONÇALVES, L.A.O.; SILVA, P.B.G. Movimento negro e educação. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 15, p. 134-158, set.-dez. 2000.

GOMES, N. L. Movimento negro e educação: ressignificando e politizando a raça. Educação e Sociedade, v. 33, n. 120, p. 727-744, 2012.

GUIMARÃES, A. S. A.. Entrevista com Carlos Hasenbalg. Tempo social, v. 18, n. 2, p. 259-268, 2006.

HASENBALG, C. A.; SILVA, N. do V. Estrutura social, mobilidade e raça. Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, 1988.

HASENBALG, C. A.; SILVA, N. do V. Raça e oportunidades educacionais no Brasil. Cadernos de Pesquisa, n. 73, p. 5-12, 1990.

PINTO, R. P. "Raça e educação: uma articulação incipiente. Cadernos de Pesquisa n. 80, p. 41-50, 1992.

MARTINS, E.; GERALDO, A. das G. A Influência da Família no Processo de Escolarização e Superação do Preconceito Racial: um estudo com universitários negros. Revista Psicologia Política, v. 13, n. 26, p. 55-73, 2013.

MUNANGA, K. Negritude afro-brasileira: perspectivas e dificuldades. Revista de Antropologia, p. 109-117, 1990.

MUNANGA, K. (Org.). Superando o Racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

MUNANGA, K. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. In: BRANDÃO, André Augusto P. Cadernos PENESB, Niterói: EDUFF, , , vol. 5, p.15-34, 2004.

MUNIZ, J. O. Preto no branco? Mensuração, relevância e concordância classificatória no país da incerteza racial. Dados, v. 55, n. 1, p. 251-82, 2012.

PAIXÃO, Marcelo JP; CARVANO, Luiz M. Relatório anual das desigualdades raciais no Brasil, 2007-2008. Editora Garamond, 2008.

PASCOLATI, S. A. V. ; GODOY, M. C. de. Representações Da Diversidade Étnica Em Obras Da Literatura Infantil E Juvenil. Claraboia, v. 1, n. 2, p. 130-144, 2015.

ROSEMBERG, F. et al. Diagnóstico sobre a situação educacional de negros (pretos e pardos) no Estado de São Paulo. FCC/Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, 1986.

ROSEMBERG, Fúlvia. Relações raciais e rendimento escolar. Cadernos de pesquisa, n. 63, p. 19-23, 1987.

SCHUCMAN, L. V. Racismo e antirracismo: a categoria raça em questão. Revista Psicologia Política, v. 10, n. 19, p. 41-55, 2010.

SCHUCMAN, L. V. Sim, nós somos racistas: estudo psicossocial da branquitude paulistana. Psicol. soc.(Online), v. 26, n. 1, p. 83-94, 2014.

SILVA, A. C. A desconstrução da discriminação no livro didático. In: MUNANGA, Kabengele (Org.) Superando o racismo na escola. Brasília: MEC, 2005.

VERRANGIA, D. Educação científica e diversidade étnico-racial: o ensino e a pesquisa em foco. Interacções, v. 10, n. 31, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/interfaces.v16i2.7466

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN eletrônico: 1984-5677

ISSN impresso: 1519-0994