Itinerários terapêuticos de mulheres quilombolas do agreste alagoano, Brasil

Saulo Luders Fernandes, Alessandro Oliveira Santos

Resumo


O presente estudo caracteriza-se por uma pesquisa qualitativa com base em um estudo caso que busca  descrever os  itinerários terapêuticos de mulheres quilombolas de uma comunidade localizada no agreste de Alagoas. A comunidade quilombola foi selecionada pelos seguintes critérios: 1 -  comunidade reconhecida a mais tempo; 2. comunidade que apresenta maior número de famílias em seu território; 3. comunidade que apresenta instalada em seus território Unidade Básica de Saúde.  Os participantes da pesquisa foram 03 moradoras da comunidade que apresentaram em seu histórico algum agravo em saúde, sendo elas: 01 jovem acima de 18 anos; 01 adulta e 01 idosa. A pesquisa foi desenvolvida em três etapas. A primeira consistiu em revisão bibliográfica sobre o tema saúde e comunidades quilombolas. A segunda etapa compreendeu o processo de inserção dos pesquisadores a comunidade pesquisada. Na terceira etapa foi realizada a identificação dos itinerários terapêuticos das moradoras da comunidade quilombola por meio de entrevista semi-estruturada, as quais foram submetidas à análise por meio do método de análise de conteúdo. Foram construídas e analisadas duas categorias temáticas: 1. A vida da mulher na comunidade quilombola e suas concepções de saúde/doença; 2. Itinerários Terapêuticos: caminhos para o cuidado à saúde da mulher quilombola. O estudo permitiu a construção de itinerários terapêuticos na compreensão das formas de cuidado produzidas pelas mulheres da comunidade quilombola estudada na relação com o desenvolvimento do serviço de atenção básica prestado no território.


Palavras-chave


Mulheres quilombolas. Itinerários Terapêuticos. Pesquisa Qualitativa

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUTI, José Maurício. Mocambo: antropologia e história do processo de formação quilombola. Bauru: Edusc, 2006.

BEZERRA, V. M. et al. Inquérito de saúde em comunidades quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil (Projeto COMQUISTA): aspectos metodológicos e análise descritiva. Ciência e Saúde coletiva, 19(6): p.1835-1847, 2014.

COSTA, Eliane Silvia Racismo, política pública e modos de subjetivação em um quilombo do vale do ribeira. Tese de doutorado, programa de pós-graduação em psicologia social e do trabalho, Universidade de São Paulo, 2012.

FERNANDES, S. L., DUARTE, K. L. & SILVA, V. A. Políticas públicas de saúde na comunidade de negros rurais em serra verde II, Município de Igaci – AL. Resumos do II Congresso Nordestino de Extensão Universitária. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2010.

FERREIRA, H. S., LAMENHA, M. L. D., XAVIER Júnior, A. F. S., CAVALCANTE, J. C. & Santos, A. M. Nutrição e saúde das crianças das comunidades remanescentes dos quilombos no Estado de Alagoas, Brasil. Rev. Panam Salud Publica 30(01), p. 50-57, 2011.

FREITAS, D. B.; SILVA, J. M. & GALVÃO, E. F. C. A relação do lazer com a saúde nas comunidades quilombolas de Santarém. Re. Bras. Ciênc. Esporte. v.30, n. 2, jan, p. 89-105, 2009.

FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES (FCP). Banco de dados de comunidades quilombolas no país. Recuperado em 05 de abril, 2015 de http://www.palmares.gov.br/?page_id=88.

GERHARDT. T. E. Itinerários terapêuticos em situações de pobreza: diversidade e pluralidade. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 22(11):2449-2463, nov, 2006.

GOMES, K. O.; REIS, E. A.; GUIMARÃES, M. D. C. & CHERCHIGLIA, M. L. Utilização de serviços de saúde por população quilombola do Sudoeste da Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(9):1829-1842, set, 2013.

IINSTITUTO NACIONAL DE COLONIAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA. Quadro atual da política de regularização de territórios quilombolas do INCRA. Recuperado em 03 de novembro, 2014 de http://www.incra.gov.br/sites/default/files/uploads/estrutura-fundiaria/quilombolas/quadro_atual_da_politica.pdf.

MARQUES, A. S.; CALDEIRAS, A. P.; SOUZA, L. R.; ZUCCHI, P. & CARDOSO W. D. A. População quilombola no norte de Minas: invisibilidade, desigualdade e negação de acesso ao sistema público de saúde. Boletim do Instituto de Saúde (BIS). Vol 12, n. 2, Ago, 2010.

MARTINS, E.; SANTOS, A. O. & COLOSSO, M. Relações étnico-raciais e psicologia: publicações em periódicos da Scielo e Lilacs. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 15(3), 118-133. São Paulo, set.-dez, 2013.

MELO, M. F. T. e SILVA, H. P. Doenças crônicas e os determinantes sociais da saúde em comunidades quilombolas do Pará, Amazônia, Brasil. Revista ABPN v. 7, n 16, mar-jun, p. 168-189, 2015.

OLIVEIRA, S. K. M.; SILVEIRA, J. C. S.; PEREIRA, M. M. & FREITAS, D. A. Saúde em comunidade rural quilombola: relato de experiência sob o prisma dos atributos da atenção primária à saúde. Motricidade. Vol.8, n2, p.83-88, 2012.

OLIVEIRA, Jarbas Ribeiro. A atenção básica e a saúde da população negra (p.33-44).. In: Riscado, Jorge Luís de Souza & OOLIVEIRA, Maria Aaparecida Batista de (orgs.). Quilombolas, guerreiros alagoanos: AIDS, prevenção e vulnerabilidade. Maceió: Edufal, 2011.

OSHAI, C. M. A. e SILVA H. P. A PNAB e o acesso à saúde em populações quilombolas. Anais do 12 congresso de medicina de família e comunidade. Belém; 12:1426, 2013.

PEREIRA, L. L.; SILVA, H. P. e SANTOS, L. M. P. Projeto mais médicos para o Brasil: estudo de caso em comunidades quilombolas. Revista da ABPN v.7, n. 16 Mar-Jun, p. 38-51, 2015.

PINHO, L.; DIAS R. L.; CRUZ L. M. A. & VELLOSO N. A. Condições de saúde quilombola no norte de Minas Gerais. Revista de pesquisa cuidado é fundamental. 7(1) jan-mar: p.1847-1855, 2015.

RISCADO, José Luís de Souza & OLIVEIRA, Maria Aparecida Batista de (orgs.). Quilombolas, guerreiros alagoanos: AIDS, prevenção e vulnerabilidade. Maceió: Edufal, 2011.

RISCADO, J. L. S.; OLIVEIRA M. A. B. & BRITO, A. M. B. B. Vivenciando o Racismo e a Violência: um estudo sobre as vulnerabilidades da mulher negra e a busca de prevenção do HIV/aids em comunidades remanescentes de Quilombos, em Alagoas. Saúde Soc. São Paulo, v.19, supl.2, p.96-108, 2010.

SANTOS, R. C. & SILVA, M. S. Condições de vida e itinerários terapêuticos de quilombolas de Goiás. Saúde Sociedade. São Paulo, v.23, n.3, p.1049-1063, 2014.

SCHUCMAN, L. V. Racismo e antiracismo: a categoria raça em questão. Psicologia política, 10 (19), p. 41-55, 2010.

SEPPIR. Quilombos no Brasil. Recuperado em 03 de novembro, 2014 http://www.portaldaigualdade.gov.br/copy_of_acoes

SEPPIR. Guia de políticas públicas para comunidades quilombolas. Brasília: SEPPIR, 2013.

SILVA, S. J. & CARVALHO, E. N. Saúde das populações quilombolas no Espírito Santo: vulnerabilidade e direitos humanos (pp. 88-107). In ROSA, E. M., SOUZA, L. & AVELLAR, L. Z. (Orgs.), Psicologia Social. Temas em debate. Vitória: abrapso, 2008.

SILVA, J. A. N. Condições sanitárias e de saúde em Caiana dos Crioulos, uma comunidade quilombola do Estado da Paraíba. Rev. Saúde Soc. São Paulo, v.16, n. 2, p. 11-124, 2007.

SOUZA, Patrícia Borda & ARAÚJO, Klariene Adrielly A mulher quilombola: da invisibilidade à necessidade por novas perspectivas sociais e econômicas. (p. 163-182). In: ESTEVES, Juliana Teixeira; BARBOSA, José Luciano Albino & FALCÃO, Pablo Ricardo de Lima. Direitos, gênero e movimentos sociais II. Florianópolis : CONPEDI, 2014.

SOUZAS, R. Liberdade, violência, racismo e discriminação: narrativas de mulheres negras e quilombolas da mesorregião centro-sul da Bahia/Brasil. Revista da ABPN, v.7, n 16 jun, p.89-102, 2015.

TRAD, L. A. B.; CASTELLANOS, M. E. P & GUIMARÃES, M. C. S. Acessibilidade à atenção básica a famílias negras em bairro popular de Salvador, Brasil. Rev. Saúde Pública;46(6):1007-13, 2012.

VIEIRA, A. B. D. & MONTEIRO, P. S. Comunidade quilombola: análise do problema persistente do acesso à saúde, sob o enfoque da bioética de intervenção. Saúde em debate. Rio de Janeiro, v.37, n.99 out/dez, p. 610-618, 2013.

WANE, Njoki. Uncovering the Well: Black Feminism in Canada (p. 3-22). In: WANE, Njoki; JAGIRE, Jennifer & Murad Zahra. Ruptures: Anti-colonial & Anti-racist Feminist Theorizing. Toronto: sense publishers, 2013.

WANE, N. Black Canadian Feminist Thought: Perspectives on Equity & Diversity in the Academy. Journal of Race, Ethnicity and Education;12(1):65-77, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/interfaces.v16i2.7562

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN eletrônico: 1984-5677

ISSN impresso: 1519-0994