Perspectivas Analíticas para a Política Externa em Países da América do Sul: Pensando Novos Aportes Teóricos a partir da Experiência Andina

Renata Peixoto de Oliveira

Resumo


Teoricamente, partiremos de uma proposta de tentativa de ruptura epistemológica com as escolas clássicas das Relações Internacionais, fundamentada pela reflexão e proposição de conceitos como colonialidade do saber e do poder, trabalhadas por acadêmicos pertencentes ao programa de investigação modernidade/colonialidade. Pretende-se discutir a originalidade e contribuição da leitura decolonial para interpretar as relações interamericanas em tempos recentes, principalmente, a partir dos delineamentos da Política Externa recente de Venezuela, Bolívia e Equador, contribuindo, assim, para uma possível ruptura epistemológica em uma disciplina marcada por paradigmas mais propícios ao entendimento de uma realidade que não é a latino-americana. Defende-se que as abordagens decoloniais são mais propícias à compreensão das mudanças políticas recentes na América do Sul – sobretudo, por suas tentativas de ruptura com a colonialidade - comparativamente às abordagens tradicionais.

Palavras-chave


região andina; política externa; paradigmas das relações internacionais; decolonialidade

Texto completo:

PDF


Indexação: Clase - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades; DOAJ; Latindex.

 

Esta revista é de acesso livre. This journal is open access.

ISSN 2317-5338

 


shared hosting