Intelectuais e o Debate Sobre Violência Revolucionária nos Anos 1980: O Caso das Revistas Punto de Vista e La Ciudad Futura

Isabel Cristina Leite

Resumo


As revistas são fontes privilegiadas para análise de temas contemporâneos à sua existência. Neste artigo analisaremos o debate sobre a violência revolucionária por intelectuais de esquerda que tiveram alguma relação com organizações revolucionárias nos anos 1960-1970.  Buscaremos este debate nas revistas Punto de Vista e La Ciudad Futura, revistas de linha editorial de esquerda, cujos editores, em algum momento de suas vidas, militaram e trabalharam juntos em outras experiências editoriais semelhantes. Daremos ênfase nas discussões dos anos 1980, período que, em alguma medida, as análises sofreram influência da teoria dos demônios, tirando da discussão a responsabilidade da sociedade na crescente onda de violência ocorrida naqueles anos. Estas primeiras análises críticas à atuação das esquerdas evitam tocar em pontos mais incômodos, como a dimensão ética e moral da cultura guerrilheira, desmitificando seus heróis e criticando os chamados “justiçamentos”.


Palavras-chave


La Ciudad Futura; Punto de Vista; violência política, Argentina.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/rsulacp.v2i2.4712

DOI (PDF): https://doi.org/10.15210/rsulacp.v2i2.4712.g4055

Indexação: Clase - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades; DOAJ; Latindex; Sumários.org.

 

Esta revista é de acesso livre. This journal is open access.

ISSN 2317-5338

 


shared hosting