Prevalência de violência contra a mulher e suas repercussões na maternidade / Prevalence of violence against women and its repercussions in maternity

Palavras-chave: Saúde da mulher, Gravidez, Violência, Relações materno-fetais

Resumo

Objetivo: verificar a prevalência de violência contra a mulher e as suas repercussões no processo de maternidade. Método: estudo transversal, realizado no alojamento conjunto de um hospital da região metropolitana de Porto Alegre com 174 mulheres. Resultados: observou-se no estudo que maioria das entrevistadas já vivenciaram algum tipo de violência ao longo da vida (79,2%) e (23,7%) delas, durante o período gestacional. Destaca-se que o principal agressor na maioria dos casos foi o companheiro (47,9%) e que elas relataram que o fato de terem sofrido violência poderá influenciar nos cuidados com seu filho. Conclusões: ter sofrido violência não influenciou na decisão da maioria das entrevistadas de serem mães, mas, sim, na propensão aos cuidados excessivos com seu filho.

Biografia do Autor

Priscila Alberton Rodrigues, Centro Universitário Cesuca
Enfermeira formada pelo Universitário Cesuca.
Dayane de Aguiar Cicolella, Centro Universitário Cesuca
Mestre em Enfermagem pelo PPGENF-UFRGS Docente do curso de Enfermagem do Centro Universitário Cesuca.
Márcia Dornelles Machado Mariot, Centro Universitário Cesuca
Doutora pelo Programa de Pós-graduação na saúde da Criança e do Adolescente- UFRGS.Docente do curso de Enfermagem do Centro Universitário Cesuca.
Publicado
2021-07-27
Como Citar
1.
Rodrigues PA, Cicolella D de A, Mariot MDM. Prevalência de violência contra a mulher e suas repercussões na maternidade / Prevalence of violence against women and its repercussions in maternity. J. nurs. health. [Internet]. 27º de julho de 2021 [citado 28º de maio de 2024];11(1). Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/19459
Seção
Artigos Originais/ Original Articles