Experiência do adulto jovem com a doença renal crônica

  • Aline da Costa Viegas Universidade Federal de Pelotas
  • Rosani Manfrin Muniz Universidade Federal de Pelotas
  • Eda Schwartz Universidade Federal de Pelotas
  • Sonia Maria Könzgen Meincke
  • Bianca Pozza dos Santos Universidade Federal de Pelotas
  • Daniela Habekost Cardoso Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Doença crônica, Insuficiência renal crônica, Cultura, Enfermagem

Resumo

Objetivo: conhecer o cotidiano do adulto jovem com a doença renal crônica em tratamento hemodialítico. Métodos: pesquisa qualitativa, exploratória e descritiva, realizada com oito informantes em um serviço de nefrologia e no domicílio em um município no Sul do Brasil, no período de junho a agosto de 2013. Utilizou-se como referencial teórico, conceitos relacionados aos aspectos culturais de Madelaine Leininger e Clifford Geertz e os instrumentos para a coleta de dados foram a entrevista narrativa, a observação assistemática e o diário de campo. Resultados: os informantes estabeleceram uma nova história, devido à convivência cotidiana com a doença, apresentando modificações nos hábitos alimentares, hídricos, atividades diárias, laborais, lazer e sexual. A dependência de outras pessoas também foi mencionada. As fontes de apoio estiveram presentes nas narrativas. Considerações finais: os adultos jovens nessa condição de adoecimento construíram um novo modo de viver baseado em sua cultura, mantendo normas, valores e crenças.

Biografia do Autor

Aline da Costa Viegas, Universidade Federal de Pelotas
Enfermeira, Mestre em Ciências. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Enfermeira Assistencial do Programa de Internação Domiciliar do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas/RS, Brasil.
Rosani Manfrin Muniz, Universidade Federal de Pelotas
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Docente da Faculdade de Enfermagem e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas/RS, Brasil.
Eda Schwartz, Universidade Federal de Pelotas
Enfermeira, Pós-Doutora em Enfermagem. Docente da Faculdade de Enfermagem e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas/RS, Brasil.
Sonia Maria Könzgen Meincke
Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Docente aposentada pela Faculdade de Enfermagem e pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas/RS, Brasil.
Bianca Pozza dos Santos, Universidade Federal de Pelotas
Enfermeira, Mestre em Ciências. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Enfermeira Assistencial da Prefeitura Municipal de Pelotas. Pelotas/RS, Brasil.
Daniela Habekost Cardoso, Universidade Federal de Pelotas
Enfermeira, Mestre em Ciências. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Enfermeira Assistencial da Prefeitura Municipal de Pelotas. Pelotas/RS, Brasil.
Publicado
2018-05-14
Como Citar
1.
da Costa Viegas A, Manfrin Muniz R, Schwartz E, Könzgen Meincke SM, Pozza dos Santos B, Habekost Cardoso D. Experiência do adulto jovem com a doença renal crônica. J. nurs. health. [Internet]. 14º de maio de 2018 [citado 18º de julho de 2024];8(1). Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/9102
Seção
Artigos Originais/ Original Articles