Prorrogação do Prazo. Dossiê: Trabalho e Educação em tempos de pandemia

A Revista Novos Rumos Sociológicos (NORUS), do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), convida os (as) autores (as) a participarem do dossiê: Trabalho e Educação em tempos de pandemia, cuja data para submissão foi prorrogada até 01/11/2020.

A NORUS – Novos Rumos Sociológicos, revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), convida pesquisadores e pesquisadoras da Sociologia e áreas afins para enviarem artigos inéditos ao dossiê: Trabalho e Educação em tempos de Pandemia, organizado por Ana Paula F. D’Avila – PNPD do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (UFPel) e por Eduardo V. Bonaldi – Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Ciência Política (UFSC).

Em março de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que vivíamos a pandemia do Sars-Cov-2, mais conhecido como “novo coronavírus” ou Covid-19. Devido ao seu grau de contágio e à inexistência de uma vacina, medidas de distanciamento social foram progressivamente adotadas nos mais diversos contextos nacionais, gerando mudanças, bruscas e profundas, nas dinâmicas de sociabilidade que caracterizam diferentes domínios da vida social.

No mundo do trabalho, por exemplo, as taxas de desemprego sobem rapidamente ao mesmo tempo em que – sobretudo, em países periféricos como o nosso – as restrições do isolamento diminuem as oportunidades de renda tradicionalmente buscadas no setor informal de serviços. Por conseguinte, há o aumento não somente da pressão sobre redes e sistemas de proteção social, como também da atração exercida por novas, ainda que precarizadas, formas de trabalho da gig economy (“economia dos bicos”), geralmente mediadas por novas tecnologias e aplicativos (como os serviços de entrega, por exemplo).

Por outro lado, muitos entre aqueles que escaparam do desemprego e da precarização, migraram bruscamente para o regime de home office (trabalho remoto em suas residências), na qual a divisão entre tempos, espaços ou tarefas domésticas e de trabalho permanece em constante definição, com profundas consequências objetivas e subjetivas para a reconfiguração das relações sociais de trabalho durante e, possivelmente, após a pandemia.   

No âmbito da educação, as escolas e as universidades também interromperam abruptamente suas atividades presenciais. Professores e discentes precisaram se adaptar diante da proposição de diversas modalidades de ensino à distância (Ead) que reconfiguraram profundamente suas condições de trabalho e de ensino. Nesse contexto, as desigualdades culturais e educacionais – amplamente tematizadas há mais de seis décadas pela Sociologia da Educação – assumiram dimensões até então imprevistas, passando pelas dificuldades materiais de conectividade e acesso ao ensino remoto, pela configuração espacial dos ambientes domésticos que podem favorecer ou não o acompanhamento dessa forma de ensino, pelas novas relações entre família e a escola impostas pelo isolamento etc.

Diante do exposto, o presente dossiê visa receber contribuições que reflitam sobre esses dois domínios fundamentais da sociabilidade moderna – o trabalho e a educação – com a abordagem de conteúdos e temáticas que possam dialogar com as questões previstas abaixo:

1) Dinâmicas sociais e condições objetivas/subjetivas do trabalho em "home-office";

2) Contradições e relações de trabalho em plataformas digitais e aplicativos;

3) As configurações do trabalho informal no contexto da pandemia;

4) Educação e desigualdade no contexto da pandemia;

5) Educação e tecnologia no contexto da pandemia;

6) Dinâmicas sociais e condições objetivas/subjetivas do trabalho docente no contexto da pandemia.