O SENTIDO HISTÓRICO NAS FASES INTERMEDIÁRIA E TARDIA DO PENSAMENTO DE NIETZSCHE

José Nicolao Julião

Resumo


Neste estudo apresentamos resultados preliminares da nossa investigação a respeito das considerações de Nietzsche sobre história, focando principalmente a sua expressão “sentido histórico” nos períodos, intermediário e de amadurecimento do seu processo de desenvolvimento intelectual. Inicialmente, abordamos o tema em seu deslocamento paradigmático do jovem Nietzsche para o intermediário, focando a análise através de uma crítica da moral pela ciência em substituição a crítica da metafísica pela arte e, consequentemente, para o refinamento da crítica à moral sob a égide avaliativa da genealogia em suas obras tardias, sobretudo Para Além de Bem e Mal e Genealogia da Moral.


Palavras-chave


Sentido histórico; história; genealogia; moralidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/dissertatio.v47i0.14364

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




________________________________________________________________________

DISSERTATIO Revista de Filosofia

Universidade Federal de Pelotas - UFPel | Instituto de Filosofia, Sociologia e Política

Departamento de Filosofia | Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Caixa Postal 354 | CEP 96001-970 | Pelotas, RS | Brasil


FILOSOFIA/TEOLOGIA: subcomissão FILOSOFIA

Licença Creative Commons
Revista licenciada pela Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. Com esta licença os leitores podem copiar e compartilhar o conteúdo dos artigos em qualquer meio ou formato, desde que o autor seja devidamente citado.


Indexadores:

      

Diretórios:

    

Associações: