A AQUISIÇÃO DOS PRIMEIROS PRINCÍPIOS EM ARISTÓTELES

Jaqueline Stefani

Resumo


Examina-se a função da dialética, da indução e da inteligência intuitiva (nous) na aquisição dos primeiros princípios em Aristóteles, enfatizando a análise de Segundos Analíticos I 18, II 19 e Tópicos I 2. Afirma-se que o processo de aquisição requer a indução, que leva a perceber o universal nos particulares, a dialética, com seus critérios e testes baseados em endoxa para que, então, os primeiros princípios possam ser apreendidos de forma inequívoca pela inteligência (nous), disposição responsável por conhecer os princípios. Vê-se a indução como o método pelo qual se conhece o universal por meio de particulares, a dialética como instrumento metodológico auxiliando na busca pelos princípios, mais especificamente, pelas definições e o nous como faculdade, movimento noético, que opera de forma infalível na intuição dos indemonstráveis.

Palavras-chave


Aristóteles; conhecimento; indução; dialética; nous.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/dissertatio.v40i0.8526

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




________________________________________________________________________

DISSERTATIO Revista de Filosofia

Universidade Federal de Pelotas - UFPel | Instituto de Filosofia, Sociologia e Política

Departamento de Filosofia | Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Caixa Postal 354 | CEP 96001-970 | Pelotas, RS | Brasil


FILOSOFIA/TEOLOGIA: subcomissão FILOSOFIA

Licença Creative Commons
Revista licenciada pela Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. Com esta licença os leitores podem copiar e compartilhar o conteúdo dos artigos em qualquer meio ou formato, desde que o autor seja devidamente citado.


Indexadores:

      

Diretórios:

    

Associações: