PENSANDO O PROBLEMA DA ESSÊNCIA DA LINGUAGEM EM SPINOZA

José Fernando da Silva

Resumo


O artigo mostra como é possível se examinar o problema da essência da linguagem no pensamento de Spinoza. Primeiro, ele mostra como Spinoza desvincula as noções de essência e universal. Spinoza vincula a noção de essência com a de singularidade. Segundo, o artigo apresenta o elo interno ou necessário que subsiste entre uma essência e a existência em ato do indivíduo. Com essa base, o artigo mostra que a noção de linguagem pertence à classe dos indivíduos, e que a essência de uma linguagem reside em seu uso, isto é, o uso é o traço do esforço de uma linguagem individual para manter sua existência por um tempo indeterminado.


Palavras-chave


Linguagem; essência; existência; atividade; uso.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/dissertatio.v40i0.8530

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




________________________________________________________________________

DISSERTATIO Revista de Filosofia

Universidade Federal de Pelotas - UFPel | Instituto de Filosofia, Sociologia e Política

Departamento de Filosofia | Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Caixa Postal 354 | CEP 96001-970 | Pelotas, RS | Brasil


FILOSOFIA/TEOLOGIA: subcomissão FILOSOFIA

Licença Creative Commons
Revista licenciada pela Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. Com esta licença os leitores podem copiar e compartilhar o conteúdo dos artigos em qualquer meio ou formato, desde que o autor seja devidamente citado.


Indexadores:

      

Diretórios:

    

Associações: