ETERNO RETORNO: BATAULT (1904), CIÊNCIA E TRANSVALORAÇÃO

Wilson Antonio Frezzatti Jr

Resumo


Este texto investiga o artigo “L´Hypothèse du Retour Éternel devant la science moderne” do filósofo suíço Georges Batault, publicado em 1904 na Revue philosophique de la France et de l´Étranger. Pretendemos mostrar que uma abordagem científica da noção nietzschiana de eterno retorno sem considerar seu contexto filosófico transforma-a em uma concepção metafísica. Não podemos entender o eterno retorno desvinculado da proposta de transvaloração de todos os valores. O eterno retorno nietzschiano não é uma teoria científica, mas uma experiência do pensamento, cuja meta é superar a interpretação dominante, ou seja, a interpretação metafísico-cristã.


Palavras-chave


Eterno retorno; metafísica; Nietzsche; revue philosophique de la France et de l´Étranger; transvaloração de todos os valores.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/dissertatio.v35i0.8690

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




________________________________________________________________________

DISSERTATIO Revista de Filosofia

Universidade Federal de Pelotas - UFPel | Instituto de Filosofia, Sociologia e Política

Departamento de Filosofia | Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Caixa Postal 354 | CEP 96001-970 | Pelotas, RS | Brasil


FILOSOFIA/TEOLOGIA: subcomissão FILOSOFIA

Licença Creative Commons
Revista licenciada pela Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. Com esta licença os leitores podem copiar e compartilhar o conteúdo dos artigos em qualquer meio ou formato, desde que o autor seja devidamente citado.


Indexadores:

      

Diretórios:

    

Associações: