TEORIAS DESCRITIVISTAS DOS NOMES PRÓPRIOS

Claudio F. Costa

Resumo


O principal objetivo desse artigo é interpretativo. Trata-se de historiar as tradicionais teorias descritivistas dos nomes próprios sugeridas por Frege, Russell, Wittgenstein e Searle, demonstrando que, diversamente do que é suposto, elas não constituem teorias diversas a competir entre si, mas apresentações algo diversas de um mesmo modo de ver.

Palavras-chave


Nomes próprios; descritivismo; significado; filosofia da linguagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/dissertatio.v30i0.8798

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




________________________________________________________________________

DISSERTATIO Revista de Filosofia

Universidade Federal de Pelotas - UFPel | Instituto de Filosofia, Sociologia e Política

Departamento de Filosofia | Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Caixa Postal 354 | CEP 96001-970 | Pelotas, RS | Brasil


FILOSOFIA/TEOLOGIA: subcomissão FILOSOFIA

Licença Creative Commons
Revista licenciada pela Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. Com esta licença os leitores podem copiar e compartilhar o conteúdo dos artigos em qualquer meio ou formato, desde que o autor seja devidamente citado.


Indexadores:

      

Diretórios:

    

Associações: