Prevalência de violência contra a mulher e suas repercussões na maternidade / Prevalence of violence against women and its repercussions in maternity

Priscila Alberton Rodrigues, Dayane de Aguiar Cicolella, Márcia Dornelles Machado Mariot

Resumo


Objetivo: verificar a prevalência de violência contra a mulher e as suas repercussões no processo de maternidade. Método: estudo transversal, realizado no alojamento conjunto de um hospital da região metropolitana de Porto Alegre com 174 mulheres. Resultados: observou-se no estudo que maioria das entrevistadas já vivenciaram algum tipo de violência ao longo da vida (79,2%) e (23,7%) delas, durante o período gestacional. Destaca-se que o principal agressor na maioria dos casos foi o companheiro (47,9%) e que elas relataram que o fato de terem sofrido violência poderá influenciar nos cuidados com seu filho. Conclusões: ter sofrido violência não influenciou na decisão da maioria das entrevistadas de serem mães, mas, sim, na propensão aos cuidados excessivos com seu filho.


Palavras-chave


Saúde da mulher; Gravidez; Violência; Relações materno-fetais

Texto completo:

PDF HTML




Direitos autorais 2021 Universidade Federal de Pelotas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.