CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO FEDERAL E O ESTADO DA BAHIA

José Pereira Mascarenhas Bisneto, Igor Dantas Fraga, Siméa Azevedo Brito Borges

Resumo


A difusão de conceitos que envolvem o controle da gestão da coisa pública e a accountability dos gestores é uma temática que tem crescido em importância. No Brasil, a evolução das concepções de controle ocorreu através de um contexto histórico e institucional, onde o controle interno do Poder Executivo da União passa por uma transformação do controle formalista e procedimental, para um controle voltado à avaliação das políticas públicas, combate à corrupção e fomento ao controle social. O presente trabalho justifica-se na necessidade de promover maior conhecimento sobre a Controladoria Geral da União-CGU, criada em 2003, e estimular discursões sobre esta temática nos meios social e acadêmico. O objetivo principal foi analisar se a CGU, no estado da Bahia, vem apresentando performance corresponde a infraestrutura que dispõe. Para o cumprimento deste fim foi realizada consulta à literatura específica e uma coleta de dados junto à CGU-Bahia, através da aplicação de questionário que permitiram verificar que o Instituição possui uma estrutura de pessoal auditando adequada a seus fins, ainda que haja no estado uma grande demanda por auditorias e que não houve desinvestimento nas atividades de controle interno do Poder Executivo Federal no estado da Bahia em tal período.


Palavras-chave


gestão pública; controle interno; CGU.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/rsulacp.v3i1.4666

DOI (PDF): https://doi.org/10.15210/rsulacp.v3i1.4666.g4327

Indexação: Clase - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades; DOAJ; Latindex.

 

Esta revista é de acesso livre. This journal is open access.

ISSN 2317-5338

 


shared hosting