QUANTO CUSTA O CAMARÃO LIMPO?: marcas e dificuldades das mulheres que limpam camarão na Colônia Z3 (Pelotas/RS)

Luceni Hellebrandt, Carmen Rial

Resumo


Este texto relata o processamento do camarão-rosa da Lagoa dos Patos a partir de conversas com mulheres da Colônia Z3 (Pelotas/RS). O texto destaca as implicações desta atividade que é executada sobretudo por mulheres, enquanto conciliam os afazeres do ambiente doméstico e lidam com os problemas de saúde decorrentes do processo de descascar camarão. Processos que seguem técnicas aprendidas na convivência e no pertencimento à comunidade pesqueira. Além dos processos e do saber-fazer do beneficiamento do camarão, o texto destaca condições de trabalho e ilegalidade das salgas, que dificultam o reconhecimento das mulheres da Colônia Z3 enquanto trabalhadoras na pesca. Como resultado, o texto traz a reflexão sobre uma atividade que, embora necessária ao consumo do camarão enquanto produto, é a menos valorizada em sua cadeia produtiva, tanto em termos de reconhecimento profissional, quanto financeiro.

Palavras-chave


mulheres na atividade pesqueira; gênero e pesca; processamento de camarão; Colônia Z3

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/tes.v5i1.9979

 

TESSITURAS | Revista de Antropologia e Arqueologia

Programa de Pós-Graduação em Antropologia  | Universidade Federal de Pelotas

 

Indexadores: