MERCADO DA PESCA ESPORTIVA: O PRÊMIO PARA O PESCADOR DEVE SER O PEIXE MORTO?/SPORTS FISHING MARKET: THE FISHERMAN AWARD MUST BE THE DEAD FISH?

Marcos Rogério Maioli, Adriano Stadler

Resumo


A pesca esportiva é uma atividade que tem ganhado destaque entre os esportes ao ar livre, acarretando no desenvolvimento turístico das localidades em que ocorre, seja por meio das viagens para a prática, seja pela realização de eventos voltados para seu público. Porém, por se tratar de uma atividade que tem como palco a natureza, as questões ambientais não podem ser desconsideradas. É em meio a esse cenário que atua a Amura Eventos e Pesca Esportiva, empresa que, ao mesmo tempo que promove atividades nesse ramo, fomenta a discussão sobre o uso racional dos recursos ambientais e ressalta a necessidade de mudanças culturais junto aos pescadores esportivos. O presente trabalho trata das situações conflituosas vividas pelo biólogo e empreendedor Geraldo Tomé, fundador da Amura, que procura solucionar alguns dilemas, como a busca por argumentos para convencer os participantes de pesca esportiva e viagens de pesca de que devem devolver à água os espécimes capturados. Tal esforço visa a possibilidade de desenvolvimento da empresa em concomitância com uma maior racionalidade ambiental por parte dos participantes, sem que a satisfação dos mesmos seja prejudicada, através do desenvolvimento de uma melhor relação com o meio ambiente e, assim, contribuindo para a manutenção dos estoques pesqueiros para o futuro.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/reat.v14i1.16559