AIRBNB E REPRESENTAÇÕES COLETIVAS: UMA PERSPECTIVA SOCIOLÓGICA SOBRE OS SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM

Greice Martins Gomes, Elaine da Silveira Leite

Resumo


Este artigo pretende contribuir para o corpo existente de trabalhos acadêmicos críticos sobre as economias de compartilhamento, turismo e novas (re)organizações socioeconômicas derivadas disso. Para tanto, discute-se como organizações contemporâneas, como a empresa de hospedagens domésticas Airbnb, podem influenciar na construção das representações coletivas sobre os serviços que oferecem. Abordamos empiricamente o fenômeno a partir da Análise de Conteúdo de um corpus preliminar de 615 avaliações pós-estadia deixadas no site. Os dados sugerem que as representações coletivas neste meio são construídas a partir de estados mentais coletivos que mesclam senso de pertencimento comunitário à ideia de proximidade. Construção, tal, relacionada aos processos de adaptação do capitalismo às críticas quanto aos modelos de hospedagem anteriores. Para além de reinterpretar o conceito sociológico clássico de representações coletivas tomando como base novas formas de consumo relacionadas ao universo do turismo, a originalidade e contribuição do presente estudo está em, efetivamente, colocar em prática um diálogo interdisciplinar entre sociologia e turismo.


[1] O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), código de financiamento 001.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/reat.v15i1.18441