O Brasil ao pé da cruz: notas sobre a representação política de pentecostais e neopentecostais

Luis Gustavo Teixeira da Silva

Resumo


O propósito do artigo é discutir as formas de construção da representação política deste setor no Brasil. O texto está dividido em duas seções. Na primeira seção, buscamos desenvolver o argumento com base em algumas interrogações, são elas: Quais as razões e sob que circunstâncias se constroem o discurso de que os pentecostais e neopentecostais precisam estar representados na política institucional? Como podemos compreender o processo de autorização política neste ambiente? Os fiéis/eleitores obedecem irrefletidamente às diretrizes de suas denominações quanto a que candidato apoiar, ou há outras vaiáveis a serem analisadas? Na segunda seção, procurar entender de que forma este segmento elabora seu modelo de representação e quais estratégias são mobilizadas para sua execução. Do mesmo modo, ao final desta seção, refletimos sobre os problemas na relação entre representante e representado, além dos perigos à democracia brasileira que este modelo de representação pode gerar.

Palavras-chave


Neopentecostais; pentecostais; representação; laicidade; minorias.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/pp.v0i17.5619