A prece da África nas matas de cá: a pureza versus o panteão mitológico do candomblé angola sob a perspectiva do Nzo Nkise Nzazi

Janaína Gonçalves Hasselmann, Roberta Barros Meira, Maria Luiza SCHWARZ

Resumo


O artigo visa contribuir para as pesquisas sobre candomblé angola trazendo uma releitura do culto aos orixás. O uso metodológico da história oral permite-nos perceber no passado e presente os significados distintos que contestam uma homogeneidade geralmente atribuída ao panteão mitológico das religiões de matriz africana. Focalizaremos as divindades cultuadas no Nzo Nkise Nzazi, que tem sua sede litúrgica situada no município de Araquari (SC). O nzoapresenta-se como um terreiro de candomblé de modalidade angola cujo panteão mitológico é tributário da cosmovisão banto, refletindo sinais distintivos de identidade perante as casas jeje-nagô. Os objetivos também serão apontar a relação entre as divindades cultuadas no candomblé angola e, com isso, dialogar com os debates do campo do patrimônio ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15210/rmr.v11i21.16229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Memória em Rede

Publicação Periódica / Semestral

Memória em Rede, revista do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural, é avaliada pelo Qualis.

Creative Commons License This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 3.0 Unported License.

_______________________________________________________________

Revista Memória em Rede, Pelotas/RS - Brasil - ISSN 2177-4129
Programa de Pós Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural
UFPEL - ICHPPGMP