INTERMIDIALIDADE COMO PROCESSO DE RESSIGNIFICAÇÃO NARRATIVA EM DIE BRÜCKE

Gabriel Felipe Pautz Munsberg

Resumo


Com o final da Segunda Guerra Mundial, as artes alemãs libertaram-se da censura e posicionaram-se contrárias à guerra, como é o exemplo do romance Die Brücke (A ponte, 1958), de Manfred Gregor, e sua adaptação fílmica homônima, de Bernhard Wicki (1959). O presente trabalho pretende elencar, ainda que de forma sucinta, as articulações entre (e intra-)mídias – a saber: intertextualidade, transposição, referência e combinação de mídias – realizadas pelo cinema, através de linguagem própria. Para tal análise, o embasamento teórico apropriado remete-se às teorias de intermidialidade (Rajewsky, 2012), sem esquecer da intertextualidade (Samoyault, 2008).

Palavras-chave: Cinema; intermidialidade; literatura.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/cdl.v0i34.17001



Caderno de Letras integra a rede LATINOAMERICANA - Asociación de Revistas Literarias y Culturales 

__________________________________________________________________ 

A Caderno de Letras está indexada nas seguintes bases: