PERSPECTIVAS DO DESENVOLVIMENTO CAPITALISTA NA AMÉRICA LATINA: O CASO DOS CONVENTILLOS DE BUENOS AIRES A PARTIR DAS TEORIAS DA MARGINALIDADE

Henrique De Aro Silva

Resumo


Este trabalho objetiva analisar a construção de identidades a partir da condição marginal nos conventillos, espécie de cortiço ou habitação popular existente em Buenos Aires no início do século XX, sob a ótica das Teorias da Marginalidade latino-americanas e sua relação estabelecida com os conceitos de Exército Industrial de Reserva e Superpopulação Relativa, provenientes de Karl Marx. Desse modo, pretende-se investigar as peculiaridades do Ser marginal no que tange os elementos que acabam por transformá-lo, a partir de sua cultura de mescla e de seu cotidiano babélico, num dos agentes mais ativos da vida política portenha do período. Para isso trabalharemos com as diferentes definições a respeito da marginalidade a partir dos autores latino-americanos Aníbal Quijano, José Nun, e Lucio Kowarick. A intenção é que consideremos a hipótese de que o elemento do conventillo pode apontar a existência de uma Cultura Política Marginal que baseia sua força na construção da identidade a partir da própria exclusão.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/hr.v21i22.15992

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.15210/hr.v21i22.15992.g10050