DIREITO NATURAL VERSUS DIREITO POSITIVO NA OBRA ANTÍGONA DE SÓFOCLES

Milena Rosa Araujo Ogawa, Maurício Cristiano de Azevedo

Resumo


Objetivamos analisar a obra Antígona, como forma de tematizar a questão dos Direitos Humanos, por meio do embate entre as noções de Direito Natural e Direito Positivo, o conflito central que se instaura na diegese da referida fonte. Como abordagem metodológica, utilizaremos a análise de conteúdo de Laurence Bardin (1979) e a Estética da Recepção para tratar os pontos tangenciadores entre esses dois “Direito(s)”. Dividiremos o trabalho em três segmentos: Sófocles e o contexto de produção da obra; a estética da recepção para compreensão da peça a partir de uma reflexão histórica; e a última fase debate as noções de Direito Natural e Direito Positivo na peça em questão, como forma de situar a problemática dos Direitos Humanos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/hr.v21i22.15994

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.15210/hr.v21i22.15994.g10052