A NAÇÃO EM UMA XICRINHA DE CAFÉ: REFLEXÕES SOBRE UMA EXPERIÊNCIA NACIONALISTA NO BRASIL NOVECENTISTA (1901-1950)

Daniel Minossi Nunes

Resumo


Foi a partir das pequenas xícaras para café exumadas do sítio arqueológico Praça Brigadeiro Sampaio (RS.JA-10), em Porto Alegre/RS, que essa narrativa tomou corpo. Essas xicrinhas funcionaram como uma espécie de gatilho ou, melhor dizendo, como elemento desafiador, estimulante, provocador. A pesquisa histórica acerca desses objetos, produzidos na primeira metade do século XX, colocou-me em contato com o rico universo do comércio internacional do café brasileiro. Divididos entre o Brasil e a Europa, alguns brasileiros preocupados com o consumo do café nacional no exterior expressavam, para além dos interesses calculistas do mercado, certo sentimento de estranhamento com relação à maneira como alguns povos europeus consumiam o café. Motivados por esse estranhamento, os atores escancaram e demarcam as diferenças entre os brasileiros e os europeus, reforçando, a partir do modo de preparo e consumo do café, a ideia de identidade nacional brasileira.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15210/lepaarq.v15i30.13771

 
Contador de visitas