Uma perspectiva metodológica para o estudo epigráfico: O caso de Sagunto ( I d.C.)

Carlos Eduardo da Costa Campos

Resumo


RESUMO: 

A proposta é de apresentar uma metodologia para análise epigráfica que seja útil aos pesquisadores de História. Afinal, acreditamos que metodologia para epigrafia pode auxiliar a extrair diversas informações preciosas para uma pesquisa que poderiam ser omitidas em uma análise superficial. Assim iremos expor as etapas e categorias de análise com um estudo de caso sobre a cidade romana de Sagunto, no século I d.C..

ABSTRACT: 

The paper is a somewhat indirect part of the 'theme essay' around which the present volume is organized. The proposal is to present a methodology for epigraphic analysis that is useful to researchers of history. We focus on segmenting the methodology. Therefore, it has the interest to provide a more thorough analysis and more details about the information contained in the epigraphs.


Palavras-chave


Metodologia, Epigrafia, História Antiga

Texto completo:

PDF

Referências


DOCUMENTAÇÃO:

CORELL, J. Inscripcions romanes del país Valencià: (Saguntum i el seu territori). Vol.1. Valencia: Universidad de Valencia, 2002.

JOHNSON, A. C.; COLEMAN-NORTON, P. R.; BOURNE, F. C.; PHARR, C. P. (Ed.). Ancient Roman statutes: translation, with introduction, commentary, glossary and index. Austin: University of Texas Press, 1961. p. 97-104.

BIBLIOGRAFIA:

ALLISON, P. M. Engendering Roman Spaces. In: ROBERTSON, E. C.; SEIBERT, J. D.; FERNANDEZ, D. C.; ZENDER, M. U. (Org.). Space and spatial analysis in archaeology. Calgary: University of Calgary Press, 2006. p. 344-50.

ARIÑO, B. D.. Epigrafía Latina Republicana de Hispania (Collección Instrumenta – 26). Barcelona: Publicacions Universitat de Barcelona, 2008.

ASSMANN, J. Para Além da Voz, Para Além do Mito. Revista Humboldt, ano 45, p. 3-6, 2003.

BEARD, M.; NORTH, J. A.; PRICE, S. R. F. Religions of Rome. V. 1 (A History). Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

BORGES, A.S. “Entre espaços, representações e agentes: a paisagem imperial em cidades da Lusitânia romana”: uma proposta de pesquisa. R. Museu Arq. Etn. Supl., São Paulo, n.18: 141-149, 2014.

BUSTAMANTE, R. M. C. Práticas Culturais no Império Romano: Entre Unidade e a Diversidade. In: SILVA, G. V.; MENDES, N. M. (Org.). Repensando o Império Romano – Perspectiva Socioeconômica, Política e Cultural. Rio de Janeiro: Mauad: Vitória; Espírito Santo: EDUFES,2006. p. 110-123.

CABANES, P. Introdução à História da Antiguidade. Petrópolis: Ed. Vozes, 2009.

CAMPOS, C. E. C.; CANDIDO, M. R.; DUARTE, A. F.; GOMES, J. R. P. Novas perspectivas sobre a aplicação metodológica em História Antiga. In: ROSA, C. B. A Busca do Antigo. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2011. p. 13-24.

CAMPOS, C. E. C. A estrutura de atitudes e referências do imperialismo romano em Sagunto (II a.C. – I d.C.). 2013. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós Graduação em História, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

CANDIDO, M. R. A pesquisa de Antiguidade Clássica no Brasil. In: ZIERER, A.; XIMENDES, C. A. História Antiga e Medieval: Cultura e Ensino. São Luís: Editora UEMA, 2009. p. 281-294.

D’ ENCARNAÇÃO, J. Introdução ao Estudo da Epigrafia Latina. Coimbra: Instituto Arqueologia e de História da Arte da Universidade Coimbra, 1979. Cadernos de Arqueologia e Arte, nº: 01.

D’ ENCARNAÇÃO, J. Epigrafia: As Pedras que Falam. Coimbra: Ed. da Universidade de Coimbra, 2010.

DOS SANTOS, D. V. C. De tablet para tablet – novas ferramentas para a pesquisa e o ensino da história das culturas cuneiformes na era digital. Tempo e Argumento, v. 6, n. 12, p. 212-241, 2014.

FERREIRA, T. M. T. B. C. História e prosopografia. Anais do Encontro Regional de História – ANPUH-RJ, 2002.

FLESS, F.; MOEDE, K. Music and Dance: Forms of Representation in Pictorial and Written Sources. In: RÜPKE, J. A Companion Roman Religion. Malden-EUA; Oxford-Ingl.: Blackwell Publishing, 2007. p. 253-255.

FUNARI, P. P. A.; PINTO, R. Inscrições Latinas da Província Romana da Bretanha. Revista de Letras Clássicas, n. 8, p. 149-155, 2004.

GUARINELLO, N. L. Uma Morfologia da História: As Formas da História Antiga. Revista Politéia: História e Sociologia, Vitória da Conquista, v. 03, n. 01, p. 41-61, 2003.

HARTOG, F. Os antigos, o passado e o presente. Brasília: Ed. UnB, 2003.

HEATHER, P. Cultura Escrita e Poder no Período Migratório. In: BOWMAN, A. K.; WOOLF, G. Cultura Escrita no Mundo Antigo. São Paulo: Ed. Ática, 1998. p. 221-23.

MAGALHÃES, M. M.. Apresentação. In: DA SILVA, G. V; MENDES, N. M. Repensando o Império Romano. Rio de Janeiro: Mauad; Vitória:EDUFES, 2006, p. 9-12.

MANGAS, J. Leyes coloniales y municipales de la Hispania Romana. Madrid: Ed. Arco Libros, 2001.

MENDES, N.M. A província da Lusitania: sistema econômico global e local. R. Museu Arq. Etn. Supl., São Paulo, n.18: 49-58, 2014.

ROWE, G. Epigraphical Cultures of the Classical Mediterranean: Greek, Latin, and Beyond. In: ERSKINE, A. (Org.). A Companion to Ancient History. Massachussets-USA; Oxford-UK: Blackwell Publishing Ltd., 2009. p. 27-33.

RÜPKE, J. Urban religion and imperial expansion: Priesthoods in the lex Ursonensis. In: BLOIS, L.; FUNKE, P.; HAHN, J. The impact of imperial Rome on religions, ritual and religious life in the Roman Empire. LeidenBoston: Brill, 2006. p. 14-9.

SZEMLER, G. Religio, Priesthoods and Magistracies in the Roman Republic. Numen, v. 18, Fasc. 2, Aug., 1971.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/lepaarq.v12i24.5594

 
Contador de visitas