PIXO - Revista de Arquitetura, Cidade e Contemporaneidade

A “PIXO – REVISTA DE ARQUITETURA, CIDADE E CONTEMPORANEIDADE” abrange as seguintes áreas do conhecimento: Arquitetura e Urbanismo, Artes, Filosofia, Educação, Geografia e Psicologia. Uma iniciativa conjunta dos Grupos de Pesquisa CNPQ Cidade+Contemporanenidade (PROGRAU/UFPel) e Arquitetura, Derrida e Interconexões (PROPAR/UFRGS).

A revista digital trimestral (primavera, verão, outono e inverno – ágil e contínua) reúne artigos, ensaios, entrevistas e resenhas (redigidos em português, inglês ou espanhol) em números temáticos e;  em torno da abordagem multidisciplinar de questões relacionadas à sociedade contemporânea, em especial na relação entre a arquitetura e cidade, habitando para isso as fronteiras da filosofia da desconstrução, das artes e da educação, a fim de criar ações projetuais e afectos para uma ética e estética urbana atual.

Notícias

 

CHAMADA PARA A SETIMA EDIÇÃO DA REVISTA PIXO

 

FRONTEIRAS E BORDAS

A sétima edição da REVISTA PIXO, primavera, está aberta as submissões dos trabalhos apresentando como tema: “Fronteiras e bordas: a investigação do entre na cidade contemporânea”. A temática proposta não trata de limite, da oposição quase alienada do dentro ou fora, exterior ou interior, aberto ou fechado. Mas, nos interessa o entremeio, o dentro e fora ao mesmo tempo, a indeterminação geométrica, a borda e a fronteira. 

No atual cenário mundial de conflitos políticos, econômicos, culturais, marcado pela intolerância e austeridade, observa-se um crescente impulso imigratório e, consequentemente, uma rigidez ainda maior do controle das fronteiras. A fronteira, entendida como um lugar de indefinição espacial que convive constantemente com dualismos, seja da hospitalidade e da hostilidade, da liberdade e do domínio, do natural e do construído, da formalidade a informalidade, do nativo e do estrangeiro. A fronteira não é susceptível a interpretação e muito menos a representação, assim, nada mais é do que a diferença em si mesma, a fresta, o constante rompimento e construção. 

O “entre” é susceptível a múltiplas interpretações e sujeito a muitas formas de representação, vive o constante duelo entre a construção e a ruptura. É o lugar de todos e de ninguém ao mesmo tempo. O “entre” não se resume somente ao limite geográfico institucional, mas está presente dentro da própria cidade, seja na fronteira entre o urbano e o rural, entre as bordas dos bairros, na distinção entre o público e privado, no limite entra a casa e a rua, entre o corpo e a cidade, e até mesmo entre o objetivo e o subjetivo. Nas brumas de uma borda é que se percebe a possibilidade da coexistência com a alteridade.

A proposta acolhe trabalhos das diversas áreas do conhecimento, podendo dialogar sobre: os conflitos migratórios fronteiriços; os desafios urbanos das cidades-gêmeas de fronteira; as frestas urbanas ocasionadas por inúmeras formas de segregação; as inquietações das bordas citadinas; a relação dos espaços públicos-privados na contemporaneidade; conurbações; a fronteira entre projeto (conceituação) e construção (realização) das cidades; a fronteira do corpo nas relações sociais; dentre outros. 

A submissão de trabalhos, necessariamente inéditos, deverá ser feita pelo sistema (cadastro no PORTAL DE PERIODICOS UFPEL https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/pixo), entre os dias 22/08/2018 a 18/11/2018. O autor deverá enviar manuscrito anexado ao sistema sem identificação, após aprovação será solicitada a versão final com a identificação dos autores.

Edição temática “Fronteiras e bordas: a investigação do entre na cidade contemporânea” é dirigida pelo Mestre Fabrício Sanz Encarnação e pela Mestranda Lorena Maia Resende.

 
Publicado: 2018-08-22
 

EM BREVE PIXO 5 E 6 NO AR!

 
 
Publicado: 2018-07-25
 
Outras notícias...

v. 2, n. 4 (2018): Imagens Líquidas (verão)


Capa da revista