PIXO - Revista de Arquitetura, Cidade e Contemporaneidade

A “PIXO – REVISTA DE ARQUITETURA, CIDADE E CONTEMPORANEIDADE” abrange as seguintes áreas do conhecimento: Arquitetura e Urbanismo, Artes, Filosofia, Educação, Geografia e Psicologia. Uma iniciativa conjunta dos Grupos de Pesquisa CNPQ Cidade+Contemporanenidade (PROGRAU/UFPel) e Arquitetura, Derrida e Interconexões (PROPAR/UFRGS), com classificação prévia CAPES QUALIS-periódicos A4 (para Avaliação Quadrienal de 2021).

A revista digital trimestral (primavera, verão, outono e inverno – ágil e contínua) reúne artigos, ensaios, entrevistas e resenhas (redigidos em português, inglês ou espanhol) em números temáticos e;  em torno da abordagem multidisciplinar de questões relacionadas à sociedade contemporânea, em especial na relação entre a arquitetura e cidade, habitando para isso as fronteiras da filosofia da desconstrução, das artes e da educação, a fim de criar ações projetuais e afectos para uma ética e estética urbana atual.

Notícias

 

CHAMADA PARA A DÉCIMA TERCEIRA EDIÇÃO DA REVISTA PIXO

 

Em conjunto com o 2019 IAPS Symposium Ageing in Place in a World of Inequalities: How to Design Healthy Cities for All que aconteceu de 27 à 30 de Novembro de 2019 no Brasil, na cidade de Pelotas,  promovido pela IAPS Environment and Gerontology Network, com  apoio do, Projeto PlaceAge, Laboratório de Estudos Comportamentais da UFPel e Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFPel, está aberta a chamada para a décima terceira edição da PIXO – revista de arquitetura, cidade e contemporaneidade com a temática ENVELHECER NO LUGAR.

O envelhecimento populacional tem gerado novos desafios em como projetar melhores ambientes urbanos que apoiem e promovam o envolvimento social cotidiano e a vida urbana saudável para todos. À medida que envelhecem, as pessoas enfrentam limitações em suas capacidades físicas e cognitivas, mudanças nos arranjos de vida e perda de apoios sociais. O ambiente preferido pelos idosos é a comunidade, onde eles podem permanecer ativos, engajados, socialmente conectados e independentes. No entanto, as cidades urbanas contemporâneas podem ser “hostis” às pessoas com 60 anos ou mais, agindo como uma barreira ao acesso às oportunidades sociais, econômicas e cívicas.

A chamada reconhece que simplesmente mudar a forma construída não é suficiente para criar um ambiente mais inclusivo para o envelhecimento, pois os lugares são mais do que espaços físicos. Ambientes viáveis são articulados através de um forte sentido de lugar, definido como os vínculos sociais, psicológicos e emocionais que as pessoas têm com seu ambiente. Um forte senso de lugar resulta do acesso a apoios para participação ativa, oportunidades para construir e sustentar redes sociais e assumir um papel significativo na comunidade. Em contraste, um sentimento de exclusão ou “falta de oportunidades de participação na comunidade” está associado à alienação, ao isolamento e à solidão, muitas vezes resultando em problemas diversos de saúde e bem-estar, particularmente entre os idosos vulneráveis. Socialmente, a criação de ambientes urbanos amigáveis ao envelhecimento que apoiam o sentido de lugar é parte integrante do envelhecimento bem-sucedido, garantindo que as pessoas possam continuar a contribuir positivamente na velhice, atrasando a necessidade de cuidados institucionais e reduzindo os custos de saúde e assistência social. São temáticas de interesse relacionado: Memória, Identidade e Sentido de Lugar; Saúde, Bem-estar e Meio Ambiente; Participação Social, Inclusão e Gênero; Desenho Universal e Acessibilidade e; Desafios da Habitação.

Dentro dessa temática, convidamos acadêmicos, pesquisadores, profissionais e alunos a enviar artigos, ensaios, entrevistas, resenhas e parede branca (breves textos literários, poemas, desenhos, fotografias, ou ainda, valendo-se das possibilidades da plataforma eletrônica da Revista), a fim de discutir como planejar cidades saudáveis para todas as gerações, respondendo a diferentes impactos ambientais, sociais, culturais e econômicos.

A submissão de trabalhos, necessariamente inéditos (ou apresentados no https://wp.ufpel.edu.br/placeage/), em língua português, espanhola ou inglesa, deverá ser feita pelo sistema (https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/pixo/about/submissions#onlineSubmissions), cadastrando-se como “autor”, entre os dias 27/11/2019 e 06/04/2020.

A edição temática ENVELHECER NO LUGAR é dirigida pela Profa. Dra. Adriana Portella e  Prof. Dr. Eduardo Rocha.

 
Publicado: 2019-11-26
 

CALENDÁRIO 2019-2020-2021

 

PIXO 10 – Mulheres e Lugares Urbanos II (inverno 2019)

PIXO 11 – Caminhografia Urbana I (primavera 2019)

PIXO 12 – Caminhografia Urbana II (verão 2020)

PIXO 13 – Envelhecer no Lugar (outono 2020)

PIXO 14 –  Educação e Arquitetos  (inverno 2020)

PIXO 15 – Projeto, Parametria e Tecnologia (primavera 2020)

PIXO 16 – Não Arquitetura (verão 2021)

 
Publicado: 2019-11-26
 
Outras notícias...

v. 3, n. 9 (2019): MULHERES E LUGARES URBANOS I (OUTONO)


Capa da revista