PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA DAS ÁGUAS PRÓXIMAS A ATIVIDADES MINERADORAS EM CAÇAPAVA DO SUL/RS

Anelise Marlene Schmidt, André Luís Silva da Silva, Mara Elisângela Jappe Goi

Resumo


O presente texto apresenta e discute resultados de um Projeto de Extensão, vinculado ao programa “Novos Talentos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior” (CAPES), desenvolvido pela e na Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), no campus de Caçapava do Sul/RS, a partir de 2014. Teve por principal objetivo o incentivo de alunos e professores da Rede Básica de Ensino daquele município no que se refere à investigação científica de impacto ambiental em seus recursos hídricos. Foram realizados encontros mensais junto a esse público-alvo, em atividades teóricas e experimentais, desenvolvidas em laboratório de Química da Universidade e em atividades de campo, em arroios deste município e na região das Minas do Camaquã. A partir de aportes teóricos em Alfabetização Científica e experimentação, sob a abrangência de tecnologias educacionais caracterizando-se como estratégias de favorecimento aos processos de ensino e aprendizagem em Ciências, a partir das considerações de professores e alunos analisadas documentalmente, verificou-se que as atividades realizadas mostraram-se efetivas na aquisição de significados científicos, particularmente com relação à disciplina de Química, o que vai ao encontro da política institucional de extensão da UNIPAMPA.


Palavras-chave


Análise ambiental; Experimentação; Alfabetização Científica

Texto completo:

PDF EPUB

Referências


ALMEIDA, C. N.; ARAÚJO, C.; MELLO, E. F.; Geologia nas escolas de Ensino Básico: a experiência do Departamento de Geologia da Universidade Federal do rio de Janeiro. Terra e didática, 11, 3, 2015.

ALONSO, M. et al. Los examines de física e química en la enseñanza por transmission y en la enseñanza por investigación. Enseñanza de Las Ciencias, v.10, n. 2, p.127-138, 1992.

ANDRADE, M. L. F.; MASSABNI, V. G. O desenvolvimento de atividades práticas na escola: um desafio para os professores de ciências. Ciência & Educação, Bauru, v. 17, n. 4, p. 835-854, 2011. .

ANDRADE, D; SANTOS, A. O. & SANTOS, J. L. Contextualização do conhecimento químico: uma alternativa para promover mudanças conceituais. In. V Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade, São Cristóvão, UFS, 2011.

BAIRD, Colin; Química Ambiental, 4ª edição, Bookman, 622p, 2011

BARBERÁ, O. VALDÉS, P. El trabajo prático en la ensenãnza de las ciencias: una revisión. Ensenãnza de Las Ciencias. v.14, n.3, p.365-379, 1996.

BASSOLI, F. Atividades práticas e o ensino-aprendizagem de ciência(s): mitos, tendências e distorções. Revista Ciência & Educação, v. 20, n. 3, p. 579-593, 2014.

BEVILACQUA, G. D.; COUTINHO-SILVA, R. O ensino de ciências na 5ª série através da experimentação. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 10, p. 84-92, 2007.

BORGES, A. Tarciso. O Papel do Laboratório no Ensino de Ciências. Ata do I Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 1997, Águas de Lindóia. Anais. Águas de Lindóia, p.2-11, 1997.

BRASIL. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências naturais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CAMPOS, M. C. C.; NIGRO, R. G. Didática de ciências: o ensino-aprendizagem como investigação. São Paulo: FTD, 1999.

CARVALHO, A. M. P.; VANNUCCHI, A. I.; BARROS, M. A. Ciências no Ensino Fundamental: o conhecimento físico. São Paulo: Scipione, 2007.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. Ijuí: Editora Unijuí, 2000.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação. jan./abr., n. 22, p. 89-100, 2003.

CBC; Companhia Brasileira do Cobre, Auditoria Ambiental das Minas do Camaquã; MINERAR, maio 2000.

COQUIDÉ, M. Um olhar sobre a experimentação na escola primária francesa. Ensaio: pesquisa em educação em ciências, Belo Horizonte, v. 10, n. 1, p. 1-18, 2008.

FEPAM em revista: revista da fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler/ FEPAM, v. 1, n. 2, 2007.

GALIAZZI, M. C.; GONÇALVES, F. P. A natureza pedagógica da experimentação: uma pesquisa na licenciatura em química. Química Nova, São Paulo, v. 27, n. 2, p. 326-331, 2004.

GARCIA BARROS, S.; MARTÍNEZ LOSADA, C.; MONDELO ALONSO, M. El trabajo prático: una intervencion para la formacion de professores. Ensenãnza de Las Ciencias, v.13, n. 2, p.203-9, 1995.

GARCIA, J. J. G. e CANUL, J. F. C. ¿Para qué enseñar ciencias en la actualidad? Una propuesta que articula la tecnología, la sociedad y el medio ambiente. Revista Educación y Pedagogía, vol. XX, jan./abr., n. 50, p. 111-122, 2008.

GIL PEREZ, D. Contribuicion de la Historia y lde la Filosofia de las Ciencias al desarrolo de un modelo de enseñanza: aprendizage como investigación. Enseñanza de Las Ciencias, v. 11, n. 2, p. 197-212, 1993.

GIL PEREZ, D. New trends in science education. Int. J. SCI. EDUC, v.18, n.8, p.889-901, 1996.

GIL PEREZ, D.; VALDEZ CASTRO, P. La Orientacion de las prácticas de laboratório com investigación: um ejemplo ilustrativo. Ensenãnza de Las Ciencias, v.14, n.2, p.155-63, 1996.

GUIMARÃES, E. M. A contribuição da Geologia na construção de um padrão de referência do mundo físico na Educação Básica. Revista Brasileira Geoc., v.34, p. 87-94, 2004.

GOI, M. E. J. A Construção do conhecimento químico por estratégias de Resolução de Problemas. Dissertação de Mestrado. Canoas: Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, ULBRA, 2004.

GOI, M. E. J.; SANTOS, F. M. T. Reações de Combustão e Impacto Ambiental por meio de Resolução de Problemas e Atividades Experimentais. Química Nova na Escola, v. 31, 2009. p. 203-209.

GOI, M. E. J.; SANTOS, F. M. T. Implementação da Metodologia de Resolução de Problemas no Ensino de Ciências. In: XVII Seminário Internacional de Educação no Mercosul, 2015, Cruz Alta. XVII Seminário Internacional de Educação no Mercosul. 2015.

GOMES, A. D. T.; BORGES, A. T.; JUSTI, R. Processos e conhecimentos envolvidos na realização de atividades práticas: revisão da literatura e implicações para a pesquisa. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 187-207, 2008.

GONZÁLEZ, E. M. Qué hay que renovar en los trabajos prácticos? Enseñanza de las Ciencias, v.10, n.2, p. 206-211, 1992.

HAZEN, R. M. e TREFIL J. Saber ciência. São Paulo: Cultura Editores Associados, 1995.

HODSON, D. Hacia Un Enfoque Más Crítico del Trabajo de Laboratorio. Enseñanzas de Las Ciencias, v.12, n.3. p.299-313, 1994.

HURD, P. D. Scientific Literacy: New Minds for a Changing World. Science Education, v. 82, n. 3, p. 407-416, 1998.

INSAUSTI, M. J. Análises De Los Trabajos Práticos de Química General En un Curso de Universidad. Enseñanzas de Las Ciencias, v.15., n.1, p.123-130, 1997.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO. Mineração e Meio Ambiente. Brasilia, 126p. , 1992.

LAYBAUER, L. Incremento de metais peasdos nsa drenagem receptora de efluentes de mineração- Minas do Camaquã Sul do Brasil. Revista Brasileira de Recursos Hídricos. v.3, n.3, p. 29-36, 1998.

KRASILCHIK, M. P. Prática de ensino de biologia. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2008.

LEAL, M. C.; SOUZA, G. G. Mito, ciência e tecnologia no ensino de ciências: o tempo da escola e do museu. In: Atlas do I Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, Águas de Lindóia-SP, 1997.

LYNCH, P. P. Laboratory work in schools and universities; structures and strategies still largely unexplored. Australian Science Teachers Journal, v.32, p.31-39, 1987.

LUCKESI, C. C. Independência e inovação em Tecnologia Educacional: ação-reflexão. Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, v.15, n. 71/72, p.55-64, jul./out.1986.

MALDANER, O. A.; PIEDADE, M.C.T. Repensando a Química. A formação de equipes de professores/pesquisadores como forma eficaz de mudança da sala de aula de química. Química Nova na Escola, São Paulo, n. 1, maio, 2005.

MARCONDES, Mª. E. R. Proposições Metodológicas para o Ensino de Química: oficinas temáticas para a aprendizagem da ciência e o desenvolvimento da cidadania. Em Extensão, Uberlândia, V. 7, 2008.

MAZZI, A. P. R. Tecnologia Educacional: pressupostos de uma abordagem crítica. Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, v.10, n. 39, p. 25-29. mar/abr.1981.

MILLER, J. D. Scientific Literacy: a conceptual and empirical review. Daedalus, v. 112, n. 2, p. 29-48, 1983.

MELO, M. R.; SANTOS, A. O. Dificuldades dos licenciandos em química da UFS em entender e estabelecer modelos científicos para equilíbrio químico. In. XVI Encontro Nacional de Ensino de Química, Salvador, UFBA, 2012.

MUNFORD, D.; LIMA, M. E. C. C. Ensinar ciências por investigação: em que estamos de acordo? Ensaio: pesquisa em educação em ciências, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 72-89, 2007.

OLIVERIA, K. O.; ANTUNES, M. S.; SOARES, B. M. Saída de campo: atividade que possibilita explorar uma diversidade de conteúdos no meio ambiente. In: II congresso Internacional de Educação Científica e Tecnológica, Santo Ângelo, 2012.

PAVÃO, A. C.; LEITÃO, A. Hands-on? Minds-on? Hearts-on? Social-on? Explainers-on! In: MASSARANI, L.; MERZAGORA, M.; RODARI, P. (Org.). Diálogos & ciência: mediação em museus e centros de ciência. Rio de Janeiro: Museu da Vida, 2007. p. 39-46.

RAMOS, L. B. C.; ROSA, P. R. S. O ensino de ciências: fatores intrínsecos e extrínsecos que limitam a realização de atividades experimentais pelo professor dos anos iniciais do ensino fundamental. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 299-331, 2008.

RITCHIE, S. M., RIGANO, D. L. Laboratory apprenticeship through a student’s research project. Journal of Research in Science Teaching, v.33, n.7, p. 799-815, 1996.

SANCHES, M.; ALONSO, M.; GIL PEREZ.; MARTINEZ, J. Concepciones exzpontaneas de los professores de Ciencias sobre la evalution: obstaculos a superar y propuestas de replanteamineto. Enseñanza de la Física, v.5, n. 2, p.18-38, 1992.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, v. 16, n. 1, p. 59-71, 2011.

SILVA, A. L. S. Um Professor de Ciências Pesquisador em Seu Saber/Fazer Pedagógico: metodologias de ensino em um contexto de formação de professores. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2016.

SILVA, A. L. S.; MOURA, P. R. G.; DEL PINO, J. C. Atividade Experimental Problematizada (AEP) como uma estratégia pedagógica para o Ensino de Ciências: aportes teóricos, metodológicos e exemplificação. Experiências em Ensino de Ciências, v.12, n. 5, 2017.

SENICIATO, T.; CAVASSAN, O. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências - um estudo com alunos do ensino fundamental. Ciência & Educação, v.10, n.1, p.133-147, 2004.

SPIRO, T.; STIGLIANI, W. Química Ambiental, PEARSON, 2ª edição, 2011.

TAMIR, P., GARCIA, M.P. Characterististics of laboratory exercices inclueded in science textbooks in catalonia (Spain). Int. J. of Sci. Educ., v.14, p.381-392, 1992.

UNIPAMPA. Universidade Federal do Pampa. Plano de Desenvolvimento Institucional 2014-2018. Bagé: UNIPAMPA, 2013.

WATSON, R., PRIETO, T., DILLON, J. S. The effect of pratical work on student’s understanding of combustion. Journal of Research in Science Teaching, v. 32, n.5, p.487-502, 1995.

ZANON, D. A. V.; FREITAS, D. A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental: ações que favorecem sua aprendizagem. Ciências & Cognição, Rio de janeiro, v. 10, p. 93-103, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/ee.v23i1.12564

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Expressa Extensão



_____________________________________________________

 

_____________________________________________________

   

INDEXADORES, REPOSITÓRIOS, CATÁLOGOS E BASE DE DADOS

[PT] A Expressa Extensão é indexada nos seguintes espaços:

[EN] The Expressa Extensão is currently indexed in the following databases and cataloguess: 

 

INDEXADORES:
 
REPOSITÓRIOS:

      

 

_____________________________________________________

Revista Expressa Extensão, Pelotas/RS - Brasil - ISSN 2358-8195 
Pró-Reitoria de Extensão e Cultura 
UFPEL - PREC EDITORA