ATIVIDADES DE CAMPO E CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROJETO ARQUEOLÓGICO ALTO CANOAS – PARACA; UM ESTUDO DA PRESENÇA PROTO-JÊ NO PLANALTO CATARINENSE

Rafael Corteletti

Resumo


Resumo: O “Projeto Arqueológico Alto Canoas – PARACA, Um Estudo da Presença proto-Jê no Planalto Catarinense”, é uma pesquisa de doutoramento desenvolvida desde 2008 no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP), e tem por objetivos (1) revisar e atualizar a literatura produzida anteriormente para a região, (2) criar um novo mapa arqueológico regional e (3) interpretar, através de dados de arqueobotânica e geodados, as paisagens das populações proto-Jê no município de Urubici, Santa Catarina. Neste relatório será abordado o primeiro objetivo do projeto, a partir da apresentação sucinta do resultado final das sessões de campo, realizadas entre os anos de 2009 e 2011. Cerca de 50 anos após a primeira pesquisa sistemática, muitos sítios já conhecidos finalmente receberam informações de coordenadas geográficas, registro fotográfico, mapas, descrições ambientais e muitos outros foram pela primeira vez noticiados, criando dessa forma um catálago arqueológico atualizado da região.  Além disso, os sítios passaram a ser interpretados a partir de uma abordagem regional e sistêmica.

 

Abstract:  The "Alto Canoas Archaeological Project - PARACA, A Study of the Presence of Jé in the Santa Catarina Plateau", is a PhD research developed since 2008 in the Museum of Archeology and Ethnology of the University of São Paulo (MAE-USP). (1) to revise and update the literature previously produced for the region, (2) to create a new regional archaeological map, and (3) to interpret, through archaeobotanical and geodata data, the landscapes of proto-Jê populations in the municipality of Urubici, Santa Catherine. This report will address the first objective of the project, from the succinct presentation of the final results of the field sessions conducted between 2009 and 2011. About 50 years after the first systematic survey, many already known sites finally received information from geographical coordinates, photographic records, maps, environmental descriptions and many others were first reported, thus creating an updated archaeological catalog of the region. In addition, sites are now interpreted from a regional and systemic approach.


Palavras-chave


Arqueologia, arqueobotânica

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, A.G.M. Teoria e Método em Arqueologia Regional: Em estudo de Caso no Alto Paranapanema, Estado de São Paulo. Tese de Doutorado, USP. 365p. 2001.

ARAÚJO, A.G.M. A tradição cerâmica Itararé-Taquara: características, área de ocorrência e algumas hipóteses sobre a expansão dos grupos Jê no sudeste do Brasil. Revista de Arqueologia, 20:09-38. 2007.

BAPTISTA DA SILVA, S. Etnoarqueologia dos grafismos Kaingang: um modelo para compreensão das sociedades Proto-Jê Meridionais. Tese de Doutorado. USP. 367p. 2001.

BAPTISTA DA SILVA, S. Refletindo sobre a Cultura Material e os Grafismos Kaingang: possibilidades para a interpretação arqueológica. Xokleng 2860 a.C. as terras altas do sul do Brasil: transcrições do Seminário de Arqueologia e Etnohistória. Marco Aurélio Nadal De Masi (Org). Tubarão. Editora da UNISUL. p.124 154. 2006.

BEBER, M.V. O Sistema de Assentamento dos Grupos Ceramistas do Planalto Sulbrasileiro: O caso da Tradição Taquara/Itararé. Tese de Doutorado, UNISINOS: São Leopoldo. 289p. 2004.

BITENCOURT, A.L.V. e KRAUSPENHAR, P. M. Possible prehistoric anthropogenic effect on Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze expansion during the late Holocene. Revista Brasileira de Paleontologia 9 (1):109-116. 2006.

BLEYER, J.C. Ueber die anthropophagie praehistorischer ureinwohner des Hochplateau's von Santa Catarina in Brasilien. Anais do XVIII Congresso Internacional de Americanistas, Londres, 1913:50-53.

BLEYER, J.C. Contribuição para o estudo do troglodyta das cavernas do planalto do Brasil. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, Florianópolis, publicação incompleta. 1918/1919: vol.7: 471-478; vol.8:62-71.

BLEYER, J.C. “Investigações sobre o Homem prehistórico no Brasil Meridional. Sobre o cannibalismo aborígene prehistórico habitante de grutas e abrigos sob rocha”. Anais do XX Congresso Internacional de Americanistas, Rio de Janeiro, 1928:17-23.

BROCHADO, J.P. An ecological model of the spread of pottery and agriculture into eastern South America. Tese de Doutorado. University of Illinois. 577p. 1984.

CALDARELLI, S.B. Projeto de Levantamento Arqueológico na Área de Inundação e Salvamento Arqueológico no Canteiro de Obras da UHE Barra Grande, SC/RS. Relatório Final 1: Salvamento Arqueológico no Canteiro de Obras, Margem Direita e Esquerda do Rio Pelotas: Resultado dos Trabalhos de Campo. Florianópolis: Scientia Ambiental. 2002.

CHMYZ, I. e SAUNER, Z.C. Notas prévias sobre a pesquisa arqueológica no Vale do Rio Piquiri. Dédalo – MAE/USP. Ano VII, n13, p.7-31. 1971.

COMERLATO, F. As representações rupestres do Estado de Santa Catarina, Brasil. Revista OHUN, UFBA Ano 2, nº 2:150-164. 2005.

CONSENS, M. La Incomunicabilidad en Arte Rupestre: Segunda Parte. In: KERN, Arno Alvarez. Anais da VIII Reunião Científica da SAB. Coleção Arqueologia. Porto Alegre, EDIPUCRS, n1, v1, p.443-468. 1996.

COPÉ, S.M. Les grands constructeurs precoloniaux du plateau de sud du Bresil: etude de paysages archeologiques a Bom Jesus, Rio Grande do Sul, Bresil. Tese de Doutorado. Universidade de Paris. 395p. 2006.

COPÉ, S.M.; SALDANHA, J.D.M.; CABRAL, M.P. Contribuições para a Pré-História do Planalto: Estudo da Variabilidade de Sítios Arqueológicos de Pinhal da Serra, RS. Pesquisas, Antropologia, 58. São Leopoldo: IAP – UNISINOS. p.121-138. 2002.

CORTELETTI, R. Uma Arqueologia dos Engenheiros da Terra. In: I Encontro do Núcleo Regional da SAB / Sul – Arqueologia do Sul do Brasil: Avaliação e Perspectivas., 1998, São Leopoldo. Revista do CEPA. Santa Cruz do Sul: Editora da UNISC, v.23. p.24. 1998.

CORTELETTI, R. Patrimônio Arqueológico de Caxias do Sul. Porto Alegre, Ed. Nova Prova. 200p. 2008.

CPRM – Serviço Geológico do Brasil. Coluna White - Excursão virtual pela Serra do Rio do Rastro, SC. Acessado em 23 de Junho de 2010 em http://www.cprm.gov.br/coluna/gpsaobento.html e http://www.cprm.gov.br/coluna/fmserrageral.html. 2010.

DEBLASIS, P.; KNEIP, A.; SCHEEL-YBERT, R.; GIANNINI, P.C.; GASPAR, M. D. Sambaquis e paisagem: Dinâmica natural e arqueologia regional no litoral do sul do Brasil. Arqueología Suramericana / Arqueologia Sul-Americana 3, (1): 29-61, 2007.

DeMASI, M.A.N. Pescadores e Coletores da Costa Sul do Brasil. Pesquisas, Antropologia, 57, São Leopoldo, IAP – UNISINOS. 136p. 2001.

DeMASI, M.A.N. Relatório Final – Projeto de Salvamento Arqueológico UHE Campos Novos. 277p. 2005.

DeSOUZA, J.G. e COPÉ, S.M. Novas perspectivas sobre a arquitetura ritual do planalto meridional brasileiro: pesquisas recentes em Pinhal da Serra, RS. Revista de Arqueologia / Sociedade de Arqueologia Brasileira, 2010. São Paulo: SAB, 2010, V. 23, M.1, pp 104-117. DIAS, A.S. Repensando a Tradição Umbu a Partir de um Estudo de Caso. Dissertação de Mestrado. PUCRS. 170p. 1994.

DIAS, A.S. Sistemas de Assentamento e Estilo Tecnológico: Uma Proposta Interpretativa para a Ocupação Pré-colonia do Alto Vale do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul. Tese de Doutorado. USP. 401p. 2003.

DNPM. Mapa Geológico de Santa Catarina. Escala 1:500.000. 1986. FARIAS, D.E.S. Distribuição e padrão de assentamento. Propostas para sítios da tradição Umbu na Encosta de Santa Catarina. Tese de Doutorado. PUCRS. 364p. 2005.

FRANK, H.T. Toca News. Boletim Informativo das Pesquisas do Projeto Paleotocas. Número 16 – Maio de 2011. Acessado no site: www.ufrgs.br/paleotocas. 2011

GOMES, M.A.M. Caracterização da vegetação de Campos de Altitude em unidades de paisagem na região do Campo dos Padres, Bom Retiro / Urubici, SC. Dissertação de Mestrado. UFSC.115p. 2009.

GUIDON, N. Temas de Arqueologia Brasileira (4): arte rupestre. In. Anuário de divulgação científica n.8. Goiânia. 1978/79/80.

HERBERTS, A.L., LAVINA, R., COMERLATO, F., COSTA, C. Oficinas Líticas de Polimento no interior de Santa Catarina. In: Anais do V Encontro do Núcleo Regional Sul da Sociedade de Arqueologia Brasileira, Rio Grande. UNISUL-IAP, edição em CD-ROM. 2006. HERBERTS, A.L. & MÜLLER, L. Os Sítios Funerários do “Projeto de Arqueologia Compensatória UHE Barra Grande – SC”. CD-rom dos Anais do XIV Congresso da SAB. Florianópolis. 2007.

IBGE – Geografia do Brasil. Região Sul. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Diretoria de Geociências. Rio de Janeiro: IBGE. 420p. 1990.

IFN – Inventário Florestal Nacional. Florestas Nativas – Rio Grande do Sul. Ministério da Agricultura. Brasília: Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal: 345p. 1983.

IRIARTE, J. Landscape transformation, mounded villages and adopted cultigens: the rise of early Formative communities in south eastern Uruguay. World Archaeology. Vol.38(4): 644-663. 2006.

IRIARTE, J. Narrowing the Gap: Exploring the Diversity of Early FoodProduction Economies in the Americas. Current Anthropology. Vol.50(5):677-680. 2009.

IRIARTE, J. e BEHLING, H. The expansion of Araucaria Forest in the southern Brazilian highlands during the last 4000 years and its implications of the Taquara/Itararé Tradition. Environmental Archaeology, Vol 12, no 2: 115-127. 2007.

IRIARTE, J., GILLAM J.C. & MAROZZI, O. Monumental burials and memorial feasting: an example from the southern Brazilian highlands. Antiquity 82: 947-961. 2008.

IRIARTE, J.; HOLST, I.; MAROZZI, O.; LISTOPAD, C.; ALONSO, E.; REINDERKNECHT, A. & MONTAÑA, J. Evidence for cultivar adoption and emerging complexity during the mid-Holocene in the La Plata basin. Nature, Vol. 432(2): 614-617. 2004.

KAMASE, L.M. Estudo das “Casas Subterrâneas” e feições doliniformes no Alto Paranapanema (SP). Pesquisas, Antropologia, 58. São Leopoldo: IAP – UNISINOS. p.165-175. 2002.

KERN, A. Le préceramique du plateau sud-brésilien. Tese de Doutorado. Ecole des Hautes Etudes em Sciences Sociales. Paris. 425p. 1981.

KERN, A.; SOUZA, J.O. & SEFFNER, F. Arqueologia de Salvamento e a Ocupação do Vale do Rio Pelotas (Municípios de Bom Jesus e Vacaria, RS). Veritas, vol. 35, nº. 133. Porto Alegre: PUCRS. p.99-127. 1989.

LA SALVIA, F. A habitação subterrânea: uma adaptação ecológica. In: A Arquitetura no Rio Grande do Sul. Ed. Mercado Aberto. Porto Alegre. p.7-26. 1987.

LAZAROTTO, D.; SCHMITZ, P.I.; BECKER, I.I.B.; STEINMETZ, R. Pesquisas arqueológicas no Planalto. Instituto de Pré-História. USP. p.79-89. 1971.

LIMA, T.A. & LÓPEZ MAZZ, J. La emergencia de complejidad entre los cazadores recolectores de la costa atlántica meridional sudamericana. Revista de Arqueologia Americana, 17,18 e 19. p.129-175. 2000.

LIMA, L.G.; FRANK, H.T.; BUCHMANN, F.S.C.; FORNARI, M.; CARON, F.; LOPES, R.P. Archaeology versus Paleontology: the question of the South American Palaevertebrate Tunnels. Anais do XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário ABEQUA, 2011.

MENDONÇA DE SOUZA, A. Dicionário de Arqueologia. Rio de Janeiro: ADESA: 140 p. 1997.

MENTZ-RIBEIRO, P.A. e RIBEIRO, C.T. Levantamentos Arqueológicos no Município de Esmeralda, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista do Cepa vol. 12, nº. 14. Santa Cruz do Sul: UNISC. p.51-92. 1985.

MILLER, E.T. Pesquisas Arqueológicas efetuadas no Planalto Meridional, Rio Grande do Sul, Rios Uruguai, Pelotas e das Antas. In PRONAPA – Resultados Preliminares do Quarto Ano (1968-1969). Belém, Museu Paraense Emílio Goeldi, Publicações Avulsas, n. 15, p.37-70. 1971.

NOELLI, F.S. Repensando os rótulos e a História dos Jê do Sul do Brasil a partir de uma interpretação interdisciplinar. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Suplemento 3:285-302. 1999.

PADBERG-DRENKPOL, J.A. Mysteriosas galerias subterrâneas em Santa Catharina. Boletim do Museu Nacional, Rio De Janeiro, 9:83-91. 1933.

PIAZZA, W. F. As Grutas de São Joaquim e Urubici. Florianópolis, UFSC. 1966.

PIAZZA, W. F. A área arqueológica dos Campos de Lages. In PRONAPA – Resultados Preliminares do Terceiro Ano (1967- 1968). Belém, Museu Paraense Emílio Goeldi, Publicações Avulsas, n. 13, p.63-74. 1969.

PRONAPA. Terminologia Arqueológica Brasileira para a Cerâmica. Manuais de Arqueologia No. 1. UFPR. CEPA. Curitiba. 33p. 1966.

PRONAPA. Brazilian Archaelogy in 1968: An interim report on the National Program of Archaelogical Research. American Antiquity, 35 (1) 1-23. 1970.

PROUS, A. Arqueologia Brasileira. Brasília: UnB. 605p. 1992. RAMBO, B. A flora fanerogâmica dos aparados riograndenses. Sellowia 7/8(7):235-298. 1956.

REIS, J.A. Para uma Arqueologia dos Buracos de Bugre: do Sintetizar, do Problematizar, do Propor. Dissertação de Mestrado, PUCRS: Porto Alegre. 262p. 1997.

REIS, M.J. A Problemática Arqueológica das Estruturas Subterrâneas no Planalto Catarinense. Ed. Habilis, Erechim. 256p. [1980] 2007.

ROHR, J.A. Os sítios arqueológicos do município sul-catarinense de Jaguaruna. Antropologia, 22, São Leopoldo, IAP – UNISINOS. p.1-37. 1969.

ROHR, J.A. Os sítios arqueológicos do Planalto Catarinense, Brasil. Pesquisas, Antropologia, 24, São Leopoldo, IAP – UNISINOS. 72p. 1971.

ROHR, J.A. Desvendando os mistérios das galerias subterrâneas... Livro da Família. Porto Alegre. Soc. Cult. e Benef. P. Reus. p.104-106. 1972a.

ROHR, J.A. As casas subterrâneas e sua cultura material. Resumos da XXIV Reunião Anual da SBPC. p.481-482. 1972b.

ROHR, J.A. As casas subterrâneas pré-históricas. Notícias, 198. Porto Alegre. Soc. Cult. e Benef. P. Reus. p.32-36. 1972c.

ROHR, J.A. Uma onça cruzou nossos caminhos... Livro da Família. Porto Alegre. Soc. Cult. e Benef. P. Reus. p.146-147. 1973a.

ROHR, J.A. A pesquisa arqueológica no Estado de Santa Catarina. Dédalo – MAE/USP. p.49-65. 1973b.

ROHR, J.A. Die vorgeschichtlichen grubenwohnungen in Brasilien. Jahrbuch der Familie. Porto Alegre. Soc. Cult. e Benef. P. Reus. p.178-183. 1974.

ROHR, J.A. O livro da pré-história. Livro da Família. Porto Alegre. Soc. Cult. e Benef. P. Reus. p.150-153. 1979.

ROHR, J.A. Sítios arqueológicos de Santa Catarina. Anais do Museu de Antropologia 17, p.77-168. 1984.

ROSA, R.R.G. O Território Xamânico Kaingang vinculado às Bacias Hidrográficas e à Floresta de Araucária. Cadernos do LEPAARQ-Textos de Arqueologia, Antropologia e Patrimônio. Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia. Pelotas, RS: Editora da Universidade Federal de Pelotas, v.II, n.4, p.99- 116. 2005

ROSS, J.L.S. Os Fundamentos da Geografia da Natureza. In ROSS, J.L.S., Geografia do Brasil. São Paulo: Edusp. p.13-66. 1996.

SALDANHA, J.D.M. Paisagem, Lugares e Cultura Material: Uma Arqueologia Espacial nas Terras Altas do Sul do Brasil. Dissertação de Mestrado, PUCRS: Porto Alegre: 177p. 2005.

SALDANHA, J.D.M. Paisagens e Sepultamentos nas Terras Altas do Sul do Brasil. Revista de Arqueologia, 21:85-95. 2008.

SCHMIDT, M. J. e HECKENBERGER, M. J. Amerindian Anthrosols: Amazonian Dark Earth Formation in the Upper Xingu. In:

WOODS, W. I.; TEIXEIRA, W. G.; LEHMANN, J.; STEINER, C.; WINKLERPRINS, A.; REBELLATO, L. (eds.) Amazonian Dark Earths: Wim Sombroek’s Vision. USA: Springer Science: 163-192. 2009. SCHMITZ, P.I. As Tradições Ceramistas do Planalto Sul-Brasileiro. Arqueologia do Rio Grande do Sul, Brasil, Documentos 02. São Leopoldo, IAP – UNISINOS, p.75-130. 1988.

SCHMITZ, P.I. O Projeto Vacaria: Casas Subterrâneas no Planalto Rio-Grandense. Pesquisas, Antropologia, 58. São Leopoldo: IAP-UNISINOS. p.11-105. 2002.

SCHMITZ, P.I.; ARNT, F.V.; BEBER, M.V.; ROSA, A.O.; ROGGE, J.H. Taió, no Vale do Rio Itajaí, SC – O encontro de antigos caçadores com as casas subterrâneas. Pesquisas, Antropologia, 67. São Leopoldo: IAP – UNISINOS. p.185-320. 2009.

SCHMITZ, P.I.; ARNT, F.V.; BEBER, M.V.; ROSA, A.O.; FARIAS, D.S. Casas Subterrâneas no Planalto de Santa Catarina – São José do Cerrito. Pesquisas, Antropologia, 68. São Leopoldo: IAP – UNISINOS. p. 7-78. 2010.

SCHMITZ, P.I. e BROCHADO, J.P. Datos para una secuencia cultural del Estado de Rio Grande do Sul (Brasil). Gabinete de Arqueologia, nº 2, Porto Alegre: UFRGS. p.118-146. 1972.

SCHMITZ, P.I.; ROSA, A.O.; IZIDRO, J.M.; HAUBERT, F.; KREVER, M.L.B.;BITENCOURT, A.L.V.; ROGGE, J.H.; BEBER, M.V. Içara: Um Jazigo Mortuário no Litoral de Santa Catarina. Pesquisas, Antropologia, 55. São Leopoldo, IAP – UNISINOS. 164p. 1999. SILVA, O.P. Levantamento Arqueológico na Área de Implantação e Pavimentação da Rodovia Estadual SC-439, Urubici - Grão Pará/SC. Relatório de Pesquisa. 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.15210/lepaarq.v7i13/14.1319